close

Cães

CãesCuriosidadesDestaquesGatosPets

Câncer em animais, cada vez mais comum

4568024_1

Tem sido cada vez mais comum, o diagnóstico de câncer em animais de estimação. O câncer acontece devido à proliferação desordenada de células de qualquer tecido do organismo, provocando danos ao funcionamento dos órgãos comprometidos. Existe uma série de fatores envolvidos – de predisposição genética ou familiar a questões ligadas ao ambiente que o animal vive, como hábitos alimentares, estilo de vida e exposição a substâncias carcinogênicas, isto é, substâncias capazes de contribuir para o aparecimento de um tumor. Tudo isso pode ajudar a aumentar a incidência do câncer.

Se a doença for detectada após produzir metástase, quando o tumor já se espalhou pelo corpo, a morte do animal pode ser inevitável. Os tipos mais comuns de câncer passíveis de prevenção são o de mama e útero, nas fêmeas, e o de próstata e testículos, nos machos. A forma de prevenir, no caso, é por meio da cirurgia de castração precoce. Os sinais clínicos variam de acordo com o tipo de tumor. Na maioria das vezes, porém, o bicho apresenta apatia e uma acentuada perda de peso.

Em geral, o diagnóstico é por meio de biópsia, radiografia, exame de sangue, ultrassonografia, tomografia computadorizada e endoscopia, dependendo sempre do local do tumor. Conforme o tipo de tumor e do estágio de sua evolução, o tratamento pode ser cirúrgico e/ou medicamentoso. Os efeitos adversos da quimioterapia são menores quando comparados aos dos seres humanos. Em alguns casos, no entanto, além de matar as células tumorais, a quimio pode deprimir a medula óssea, causando reações indesejáveis. Recentemente uma nova técnica denominada eletroquimioterapia, que seria a aplicação do quimioterápico e de choque elétrico diretamente no tumor, tem apresentado excelentes resultados.

Leia mais
CãesCuriosidadesDestaquesPets

Como evitar erros na educação dos cães

a – 1- 1- cão soltando a bolinha

Educar nossos mascotes não é tarefa fácil. Muitas das vezes, agimos impulsivamente, sem perceber que nossas atitudes podem estar contribuindo para deixar nosso  melhor amigo, um cãozinho mal educado.

  • Dar comida durante as refeições: É muito comum você não resistir ao olhar de pidão do seu cão na hora das refeições. Seu cachorro todo faceiro começa a latir, pular, fica embaixo da mesa, lamber e fazer aquela cara irresistível. Para acalmá-lo, você dá um pouco da comida do seu prato e, sem perceber, inicia um processo que acaba recompensando o comportamento.
  • Como agir: Diga “não” cada vez que o filhote ou cão adulto executar o ritual pidão. Assim que ele se afastar ou interromper o comportamento, recompense-o com um agrado verbal. Diga “muito bem” ou “isso”, por exemplo. Por outro lado, se ele ficar quieto ou entretido com algum brinquedo enquanto você come, estimule esse comportamento positivo. Ao terminar a refeição, dê um petisco para ele ou faça um agrado nele em outro ambiente. Aos poucos, ele entenderá que é recompensado por não efetuar pedidos enquanto você come.
  • Fazer festa quando você chega em casa: Você passa o dia fora correndo no trabalho e, quando retorna ao lar, não vê a hora de encontrar seu amigo. Por isso, ao revê-lo exagera nas festas e agrados. Fala com voz fina, bate palmas, propõe brincadeiras e, quem sabe, até dá um presente, pensando que assim está fazendo bem ao cachorro. Na verdade, está aumentando a possível ansiedade de separação que o amigão já tem por ficar muito tempo sozinho.
  • Como agir: Em primeiro lugar, se você passa muito tempo fora de casa e o cão permanece sozinho, antes de sair procure levá-lo para passear. O exercício físico e a possibilidade de sentir cheiros diferentes irão ajudar bastante para que o seu amigo permaneça em casa mais sereno. Outra coisa: toda vez que você for sair de casa, dê um pedaço de petisco ao cão. É sempre bom ele associar a sua saída com recompensa. E, finalmente, quando você retornar, não faça festa. Haja como se nada estivesse acontecendo. Somente depois de uns 10 minutos de calma, cumprimente seu amigo, mas sem exageros. Dessa maneira, ele entenderá a sua volta como fato normal, corriqueiro, sem sofrer ansiedade.
  • Só sair com o filhote depois de todas as vacinas estarem em dia: Cachorros devem tomar várias vacinas quando filhotes. Geralmente chegam no novo lar com 2 meses e há quem diga que, para evitar doenças, só devem frequentar a rua depois de determinada a vacinação por volta dos 5 meses. O problema de manter o filhote trancado por tanto tempo é prejudicar a socialização e o aprendizado dele. A melhor fase para o cão descobrir como o mundo é grande e que nele há ampla diversidade de pessoas, cachorros, barulhos e carros vai dos 2 aos 4 meses de vida. Sem dúvida, nessa faixa etária a socialização ajuda demais a formação da boa saúde comportamental do nosso amigo.
  • Como agir: Por um lado, leve em conta as precauções do pedido de vacinação. Não exponha o filhote ao cão das ruas e parques, nem deixe que interaja com cachorros desconhecidos. Por outro, leve-o para passear de carro ou para dar uma volta no quarteirão carregando-o no colo. Visite também amigos que tenham cães saudáveis que estejam com as vacinas em dia. Iniciativas como essas durante os 2 a 4 meses de idade do cãozinho o ajudarão a crescer muito mais seguro de si.

 

Leia mais
CãesCuriosidadesDestaques

Brincando de esconde esconde e estimulando o olfato do cão

petisco

O faro é o sentido mais aguçado dos cães. Por isso, vencer desafios guiando-se pelo cheiro pode proporcionar grande entretenimento a esses animais. As raças que foram aprimoradas para se sobressaírem no rastreamento são os sabujos e farejadores, como o Bloodhound, o Basset Hound e o Beagle.

Esconder brinquedos e petiscos pela casa é uma maneira de estimular o seu cão a farejar. Caminhadas ao ar livre e trilhas são ótimas alternativas para proporcionar diversidade de odores. E dentro de casa ou em parques é possível ensinar seu cão a se divertir usando as narinas de uma maneira diferente: achando, pelo nome, uma pessoa escondida. Para ele adquirir essa habilidade, pratique os seguintes passos:

  1. Peça para uma pessoa de casa ficar a cerca de um metro de você e do cão, que estará ao seu lado.
  2. Diga o nome da pessoa como se fosse um comando. Na sequência, a pessoa chamará o cão, atraindo-o com alguns grãos de ração ou com um petisco, que entregará a ele assim que chegar. Repita o exercício várias vezes. Quando o cão estiver realizando corretamente, passe para a próxima etapa.
  3. Diga o nome da pessoa, a qual ficará quieta e não acenará para o cão. Assim que ele chegar nela, ela o recompensará. Quando o cão estiver praticando o exercício sem erros, o nome da pessoa desempenhará o papel equivalente ao de um comando.
  4. Peça para seu ajudante a se afastar mais dois metros e repita o exercício até que o cão pratique fluentemente.
  5. A pessoa se distancia outros dois metros e o exercício é repetido até estar bem absorvido pelo cão.
  6. Agora, segure o cão de modo que ele não veja onde a pessoa está, a qual, em seguida, se esconderá. Quando estiver oculta, diga o nome dela. O cão deverá procurá-la e, assim que a encontrar, ganhará recompensa. Sempre que o acerto acontecer por algumas vezes seguidas, a pessoa passa a se esconder mais longe (a distância aumenta gradativamente de dois em dois metros).
  7. Depois que o seu ajudante estiver se escondendo a 30 metros de distância e o cão conseguir acha-lo sempre, considere-o “diplomado” para brincar de esconde-esconde. Concluído o treino em casa, é possível estender a diversão a parques e praças, locais com muitas distrações para o cão. Comece com a pessoa se escondendo pertinho e vá aumentando a distância gradativamente. Seguindo lógica semelhante, é possível ensinar nomes de objetos ao cão e pedir para ele encontrá-los (uma Border Collie ficou famosa por ter aprendido o nome de mais de mil brinquedos!). Em comparação com o treino para achar pessoa, no exercício para encontrar coisas não há necessidade de ajudante. Diga o nome do objeto, arremesse-o inicialmente a um metro e estimule-o cão a pegá-lo. Quando ele estiver feito isso, você mesmo entrega o prêmio e aproveita para recuperar o objeto. Além de aprender a identificar o objeto pelo nome, o cão aprenderá a trazê-lo de volta. Quando a associação do objeto com seu respectivo nome estiver feita, o cão será capaz de encontra-lo sob comando.

Leia mais
CãesDestaquesEventosGatos

Será que eles vão ter sua atenção?

WhatsApp Image 2021-04-01 at 17.48.41

Atenção para o desfile de fofuras!

Infelizmente o caminho até um lar é longo para muitos pets. Diariamente, cães e gatos são abandonados nas ruas da cidade e muitos não têm um bom destino. Mas você pode mudar o destino de um deles!

Não dá para ignorar que, mesmo com toda a ajuda das ongs e protetores independentes, o número de animais em situação de abandono ainda é grande.

As ongs são instituições que realizam trabalhos de conscientização e apoio a causas específicas, durante todo o ano e, apesar de realizarem um belo trabalho beneficente, elas precisam do apoio de pessoas que também possam colaborar.

VOCÊ PODE AJUDAR!
Pode doar ração e outros itens de necessidade a essas ongs; pode doar qualquer quantia em dinheiro; pode usar suas redes sociais para divulgar os peludos que estão para adoção e… pode ADOTAR um deles e ganhar o melhor presente: a alegria e gratidão eterna de um animalzinho adotado! ♥️

A Terra Zoo tem parceria com ongs na cidade de São Luís que precisam muito de você! @amadasaoluis @caesegatosderuaslz @amepetsslz entre em contato!

PARA ADOTAR um dos pets das ongs @amadasaoluis @caesegatosderuaslz ou @amepetsslz, você vai precisar ser maior de idade; apresentar documento com foto e comprovante de residência; passar por uma entrevista com a ong, visando avaliar questões como o perfil do adotante (e sua família), a rotina da casa, histórico com outros animais e a segurança.

ADOTE! Eles merecem um lar e você merece ser ainda mais feliz! 🐶🐱
#adoção #adoteumpet #sãoluís

 

Leia mais
CãesDestaques

Eles adoram puxar!

SONY DSC

A tração feita por cães tem séculos de existência. Antes da existência do transporte motorizado, várias raças de cães eram utilizadas para ajudar a transportar objetos e mercadorias, como o Rotweiler e o Bernese Mountain Dog. Puxar trenó também sempre foi uma função muito bem executada por cães das raças Husky Siberiano e Malamute do Alaska.

Na verdade os cães gostam de praticar esta atividade, e interpretam como brincadeira. Pelo grande consumo de energia que a atividade proporciona, quando corretamente administrada pode contribuir positivamente para a saúde física e mental dos cães. É importante que a prática ocorra depois do cão ter se tornado adulto, quando a ossatura está plenamente formada. O esforço exigido não deverá ser excessivo (o médico-veterinário pode avaliar o limite recomendável).

É preciso usar peitoral próprio para tração, que é acolchoado e distribui por vários pontos do corpo a pressão exercida pelo peso puxado (peitorais comuns não são adequados para tração).

Para que o cão não crie o hábito de puxar também quando sai para uma simples caminhada, é importante ensina-lo a só puxar a partir de comando (usaremos a palavra “puxa”). Isso pode ser conseguido com o seguinte treino:

  1. Primeiro, é preciso que o cão aprenda a andar sem puxar a guia. Comece a exercitar em casa, simulando caminhadas. Quando ele estiver andando ao seu lado sem puxar a guia, entregue de tempos em tempos um pedaço de petisco (gradativamente, aumente o intervalo entre as premiações). Sempre que a guia for puxada, interrompa a caminhada até o cão se acalmar (com a repetição, ele perceberá que puxar resulta em suspensão do passeio). Quando o cão estiver caminhando sempre ao seu lado em casa, passe a treiná-lo na rua, de preferência em locais calmos.
  1. O seu cão já está caminhando sem puxar a guia? Chegou o momento de apresentar o peitoral de tração para ele. Inicialmente, deixe o equipamento no cão, para que seja feito o reconhecimento. Depois, coloque o peitoral nele com a guia acoplada.
  1. Quando o cão estiver usando o peitoral de tração com naturalidade, faça-o aprender o comando “puxa”. Segure a guia e dê a ordem “puxa”. Incentive o seu aluno a ir para frente jogando uma bolinha. Assim que a guia ficar tensionada, estimule o cão a prosseguir avançando, regulando a tensão da guia para que ele sinta a sensação de estar puxando. A recompensa é pegar a bolinha que foi jogada. Repita o treino até o cão atender sempre ao comando.
  1. Passe a intercalar esse treino com o de caminhar com o cão com coleira e guia. Se, nessa situação, ele puxar, fique imóvel até que ele se acalme. Repita intercalando o treino de “puxa” com o treino de caminhada sem puxar. Essa etapa termina quando o cão só puxar ao receber comando.
  1. Com o “puxa” bem assimilado, o cão estará pronto para fazer tração. Basta você subir sobre um skate ou calçar patins e dar o comando. Já se ele for puxar algo atrelado a ele, como um carrinho, acostume-o antes a ficar nessa situação e quando ele se mostrar há vontade, comande “puxa”. Diversão garantida!!!
Leia mais
CãesDestaques

Por que adestrar é importante?

13d11798a01

É comum se ouvir reclamações por motivo de mau comportamento ou hábitos indesejados, que são também umas das principais causas do abandono. Por outro lado, muitas das vezes os próprios tutores são responsáveis pelos maus hábitos de seus pets. É comum vermos pessoas deseducando de forma inconsciente ou até ensinando hábitos errados aos pets.

Manter uma convivência saudável com o pet e educa-lo, é o primeiro passo para ter um cão sociável e companheiro. E para poder educar é preciso se informar sobre as diferentes técnicas e possibilidades existentes na vasta área do adestramento animal.

Como a lista de comandos e truques que podemos ensinar aos cães é imensa, eis aqui algumas entre as consideradas principais e mais solicitados.

Quando começar: Quanto mais cedo ensinar ao filhote melhor, pois têm mais facilidade em aprender. No geral, a partir dos dois meses é uma boa idade. Por serem gulosos, ficam mais concentrados no petisco, são mais seguros e desengonçados – ensinar o “senta”, por exemplo, não vai ser difícil já que eles gostam de permanecer sentados. Os mais velhos também aprendem, mas costumam demorar mais tempo pois, na maioria das vezes, são desconfiados, inseguros e firmes, ou seja, para ensinar a sentar você precisa se empenhar mais para induzi-los ao movimento correto.

Usando petiscos: Tudo fica mais fácil quando recompensamos o mascote com petiscos. A melhor estratégia, é recompensar o cão pelos acertos, para motivá-lo a obedecer aos comandos. A recompensa pode ser carinho, elogio, interação por meio de brincadeira ou petisco. É dada prioridade ao petisco associado com apetite por ser esse tipo de premiação a que mais incentiva o interesse dos cães em fazer de tudo para ganhar prêmios. Um jeito prático de adicionar os petiscos é usar uma pochete presa à cintura, onde você vai guardar os petiscos na hora do treino.

Cuidado para o aluno não engordar: Durante as aulas de adestramento, o cão ingere muitos petiscos, a ponto de correr risco de engordar por desbalanceamento nutricional. O jeito mais prático de evitar que isso aconteça é adotar os grãos da própria ração como petiscos. Desconta-se da refeição a porção servida nos treinos. Quem optar por outro tipo de petisco deverá respeitar o consumo diário máximo indicado na embalagem do produto. Outro cuidado é contar com orientação de um médico veterinário sobre como compensar, nas refeições, as calorias obtidas com os petiscos conquistados nos treinos.

Apetite bem-vindo: Quanto mais interessado o cão estiver em ganhar petisco, mais vai se esforçar para ir bem nos treinos. Por isso, é muito mais produtivo treiná-lo antes das refeições do que depois.

Palavras usadas nos comandos: Qualquer palavra pode ser um comando se for usada desde o início associada a mesma ação. Se você quiser usar comandos com palavras diferentes sugeridas, prefira as curtas, para simplificar a comunicação, com sonoridades bem diferentes e que não pareçam com o nome do cão, para não confundi-lo.

De olho no aproveitamento: Mantenha-se atento á disposição do cão durante os treinos. Se ele der sinais de cansaço, como ficar ofegante, disperso ou não responder aos estímulos, é hora de parar. Caso esses sinais aconteçam frequentemente, diminua a duração das sessões. Cães costumam aproveitar bem os treinos de até 15 minutos e encarar com naturalidade até três sessões por dia.

Premiar sempre? Depois que o cão estiver praticando corretamente um comando, a entrega de petisco quando ele acertar, pode ser reduzida. Mas, geralmente, recompensar continua a ser importante para manter a motivação por futuros atendimentos ao comando. Carinho, festa, brincar com o cão e dar petiscos são maneiras de recompensar. Observe o que motiva seu cão. Alguns cães até continuam realizando os comandos aprendidos sem receber qualquer premiação, mas não são todos.

Uso de coleira: Durante os treinos realizados em ambiente público, é importante que o cão esteja usando coleira atrelada a uma guia, mesmo que fique solta, sem ninguém segurar, sendo arrastada. Dessa maneira, torna-se mais fácil o controle do animal em caso de necessidade.

Leia mais
CãesCoelhoDestaques

Hora de fazer um check up!

check up

Não deixe para levar seu animal de estimação ao veterinário apenas quando ele apresentar algum problema. A prevenção sempre vale mais.

A maioria das doenças, quando detectada em fase inicial, pode ser resolvida om ajustes de rotina, mudanças na dieta e medicamentos. Por isso mesmo, procurar o veterinário de tempos em tempos, só para ver se está tudo bem, não é excesso de zelo.

As primeiras avaliações

Na infância do pet, além das muitas vacinas, é preciso adequar a alimentação de acordo com o crescimento. Por isso, leve o filhote ao veterinário a cada 30 dias até ele completar 6 meses de idade. Depois disso, se estiver tudo ok, bastam duas visitas ao ano. Qualquer sintoma suspeito vale uma passadinha extra na clínica.

Maior atenção as grávidas

A fêmea gestante precisa de todo cuidado do mundo. Após o primeiro mês de gravidez, o especialista deve observar como ela está se alimentando e se o ganho de peso é satisfatório. Caso contrário, será necessário incluir algum reforço na dieta. Exames de sangue e de ultrassonografia são igualmente importantes para o acompanhamento das mães e dos filhotes.

Os exames necessários

Todo check-up começa com um bom exame clínico. O olho treinado do veterinário observa a postura, o equilíbrio e o modo como o animal se locomove. O profissional avalia ainda o peso, mede a temperatura e ausculta o coração e os pulmões. Também analisa minuciosamente todas as partes do corpo, desde o focinho até a cauda. Após observar o estado do bicho, poderá solicitar testes complementares. Os mais básicos são os de sangue, fezes e urina. Mas, se necessário, muitas clínicas veterinárias, já dispõem de raio-X, ultrassom, eletrocardiograma, ecodopplercardiograma, entre outros exames sofisticados, como a tomografia computadorizada e o raio-X digital.

Aliados a uma boa alimentação, os avanços da medicina veterinária vêm proporcionando o aumento da expectativa de vida dos cães. Hoje, animais de raças grandes podem viver até os 14 anos e os pequenos podem chegar aos 19.

Avaliação geral

Confira os principais parâmetros dos veterinários para checar a saúde do animal e compare-os com os nossos.

Cachorro

Temperatura corpórea: de 37ºC
Frequência cardíaca: de 60 a 180 batimentos cardíacos por minuto (sendo que cães de raças pequenas possuem a frequência maior do que cães de raça grande)
Frequência respiratória: de 10 a 30 movimentos respiratórios por minuto
Pressão arterial: de 12/8 até 18/8 mmHg

Gato

Temperatura corpórea: de 38,1 a 39,2ºC
Frequência cardíaca: de 140 a 220 batimentos cardíacos por minuto
Frequência respiratória: de 24 a 42 movimentos respiratórios por minuto
Pressão arterial: de 12/8 até 18/9 mmHg

Homem

Temperatura corpórea: até 37ºC
Frequência cardíaca: de 60 a 100 batimentos por minuto
Frequência respiratória: de 12 a 20 movimentos respiratórios por minuto
Pressão arterial: até 12/8 mmHg
Que tal programar uma visita do seu mascote ao veterinário de uma das lojas Terra Zoo. Em nossas clínicas confortáveis e bem equipadas, a saúde do seu amigão estará sempre em dia.

Leia mais
AdoçãoCãesDestaquesEventosGatosPets

Feirinha de Adoção diferente e cheia de glamour!

WhatsApp Image 2021-02-18 at 17.07.11

No dia 20 de fevereiro teremos uma Feirinha de Adoção diferente e cheia de glamour, afinal, eles merecem! 🐶

A feirinha acontecerá no hall de entrada do Cinesystem no Rio Anil Shopping @rioanil das 14h às 18h no dia 20/02 enquanto estiver rodando o filme Tom e Jerry no Cinepets*! 🎥🐕

Na feirinha teremos cães e gatos ❤️🐕🐈 SRD – sem raça definida.

•Para adotar um pet:
1. Você precisa ser maior de idade;
2. Deve apresentar documento com foto e comprovante de residência;
3. Vai passar por uma entrevista com a ong, visando avaliar questões como o perfil do adotante (e sua família), a rotina da casa, histórico com outros animais e a segurança.

Ongs parceiras em São Luís: @amadasaoluis @caesegatosderuaslz @amepetsslz

⚠️ Importante:
Os cães e gatos já vão pra sua casa vacinados, vermifugados e com microchip de identificação. E mais… você pode COMPRAR O ENXOVAL do seu novo pet com 10% de DESCONTO no dia da adoção, na loja Terra Zoo do @rioanil. 🛒🛍😍

😷 Observação: Pedimos a colaboração de todos para manter um distanciamento seguro entre as pessoas, evitando aglomeração. Pedimos também que todos utilizem máscara no local.

Adote! 🐶🐱
#terrazoo #feiradeadoção #adoção #adoteumpet

Terra Zoo, faz parte da natureza, faz parte da sua família!

*Quem estiver no Cinepets esse dia ganhará brindes da Terra Zoo 🥰🎁🎟🐾
Quer saber mais sobre o Cinepets?
Acesse https://www.cinesystem.com.br/cinepets/ ou tire suas dúvidas no perfil do @rioanil #cinepets

Leia mais
AdoçãoCãesDestaquesEventosGatos

Feirinha de Adoção na loja do Rio Anil Shopping

WhatsApp Image 2021-02-04 at 16.12.05

Dia 06 de fevereiro tem feirinha de adoção em São Luís!
Terra Zoo Rio Anil Shopping @rioanil
Sábado, 06 de fevereiro, das 10h às 14h.

Cães e gatos SRD*
*Sem raça definida

•Para adotar um pet:
1. Você precisa ser maior de idade;
2. Deve apresentar documento com foto e comprovante de residência;
3. Vai passar por uma entrevista com a ong, visando avaliar questões como o perfil do adotante (e sua família), a rotina da casa, histórico com outros animais e a segurança.

Ongs parceiras em São Luís: @amadasaoluis @caesegatosderuaslz @amepetsslz

⚠️ Importante:
Os cães e gatos já vão pra sua casa vacinados, vermifugados e com microchip de identificação. E mais… você pode COMPRAR O ENXOVAL do seu novo pet com 10% de DESCONTO no dia da adoção, na loja que estiver acontecendo a feirinha.

Observação: Pedimos a colaboração de todos para manter um distanciamento seguro entre as pessoas, evitando aglomeração. Pedimos também que todos utilizem máscara no local.

Adote!
#terrazoo #feiradeadoção #adoção #adoteumpet

Terra Zoo, faz parte da natureza, faz parte da sua família!

Leia mais
AdoçãoCãesDestaquesEventosGatos

Feirinha de Adoção na Terra Zoo São Luís Shopping

WhatsApp Image 2021-01-25 at 11.06.54

Atenção, São Luís!
Feirinha de Adoção 🐶🐱
Terra Zoo São Luís Shopping
@saoluisshopping
Sábado, 30 de janeiro, das 10h às 14h.
.
•Para adotar um pet você vai precisar ser maior de idade; apresentar documento com foto e comprovante de residência; passar por uma entrevista com a ong, visando avaliar questões como o perfil do adotante (e sua família), a rotina da casa, histórico com outros animais e a segurança.
.
Ongs parceiras em São Luís: @amadasaoluis @caesegatosderuaslz @amepetsslz
.
Importante:
Os cães e gatos já vão pra sua casa vacinados, vermifugados e com microchip de identificação. E mais… você pode comprar o enxoval do seu novo pet com 10% de desconto no dia da adoção na loja do São Luís Shopping. 😱🛒🛍
.
Observação: Pedimos a colaboração de todos para manter um distanciamento seguro entre as pessoas, evitando aglomeração. Pedimos também que todos utilizem máscara no local.
.
.
Adote! 🐶🐱
#terrazoo #feiradeadoção #adoção #adoteumpet #saoluis
[12:24, 25/01/2021] Joyce Millene: Pessoal, boa t

Leia mais
1 2 3 17
Page 1 of 17