close

Aquarismo

AquarismoDestaques

O fascinante mundo dos corais

corais-1200×805

Corais são maravilhosos animais exclusivamente marinhos, encontrados nos oceanos de todo o mundo, com riqueza de cores e formatos. Muito usados em aquários marinhos ornamentais, os corais são propagados e estudados por empresas e praticantes experientes do aquarismo. Graças a esse trabalho, existe um amplo “banco de dados” genético desses animais.

São organismos sésseis, ou seja, que ficam fixos onde estão. São invertebrados, na grande maioria compostos por uma estrutura calcária coberta por tecido com pólipos, os quais contêm boca rodeada por tentáculos. Muitos corais hospedam minúsculas algas unicelulares – as zooxantelaes – com as quais é mantida uma fascinante relação de sobrevivência. Por meio da fotossíntese, essas algas fornecem a nutrição mais importante dos corais e eles retribuem com abrigo e proteção. Para tanto, em sua maioria, necessitam de boa qualidade de luz.

Habitat

Localizados principalmente em mares tropicais e subtropicais, os corais costumam ficar em águas rasas e límpidas, que permitem boa penetração da luz. Mas há também os que vivem em águas geladas, como os do mar da Noruega. O maior recife de corais está na Austrália, na costa de Queensland, chamado de Grande barreira de corais.

Reprodução

Os corais se reproduzem de duas formas. Uma é assexuada, a colônia “mãe” se divide e dela brotam novos corais. A outra, sexuada, ocorre pela liberação de gametas masculinos e femininos. Levados pela corrente de água, os gametas se encontram e formam larvas que “nadam” até se fixarem no melhor lugar dando início à metamorfose que resulta em novas colônias.

A reprodução dos corais também é feita em fazendas marinhas, geralmente na Ásia e Oceania, tanto em terra firme quanto no mar. Pequenos fragmentos de corais dão início a novos indivíduos, eles formam novas colônias que são exportadas para aquaristas do mundo todo ou usadas em estudos e em preservação e repovoamento de recifes. Essa contribuição é importante porque com o aumento da temperatura do planeta, a acidificação das águas por poluentes e gás carbônico, assim como a pesca predatória estão impactando a vida nos oceanos.

No aquário

Em locais fechados, como nos aquários, os corais necessitam de ambiente estável e com parâmetros adequados. O avanço e a difusão das técnicas e da tecnologia, permitem que hoje os corais, em sua maioria, estejam presentes no hobby do aquarismo e sejam reproduzidos.

Ao montar um aquário marinho, com ou sem corais, a maneira mais segura de obter sucesso é contar com a orientação de profissional especializado na área. São muitas as variáveis que precisam ser levadas em conta, e isso envolve estudo e conhecimento prático. Nas lojas da Terra Zoo, nossos consultores podem dar orientações para cuidar dos corais e do seu aquário marinho.

Leia mais
AquarismoDestaques

O fascinante mundo dos corais

img-8008

Corais são maravilhosos animais exclusivamente marinhos, encontrados nos oceanos de todo o mundo, com riqueza de cores e formatos. Muito usados em aquários marinhos ornamentais, os corais são propagados e estudados por empresas e praticantes experientes do aquarismo. Graças a esse trabalho, existe um amplo “banco de dados” genético desses animais.

São organismos sésseis, ou seja, que ficam fixos onde estão. São invertebrados, na grande maioria compostos por uma estrutura calcária coberta por tecido com pólipos, os quais contêm boca rodeada por tentáculos. Muitos corais hospedam minúsculas algas unicelulares – as zooxantelaes – com as quais é mantida uma fascinante relação de sobrevivência. Por meio da fotossíntese, essas algas fornecem a nutrição mais importante dos corais e eles retribuem com abrigo e proteção. Para tanto, em sua maioria, necessitam de boa qualidade de luz.

Habitat

Localizados principalmente em mares tropicais e subtropicais, os corais costumam ficar em águas rasas e límpidas, que permitem boa penetração da luz. Mas há também os que vivem em águas geladas, como os do mar da Noruega. O maior recife de corais está na Austrália, na costa de Queensland, chamado de Grande barreira de corais.

Reprodução

Os corais se reproduzem de duas formas. Uma é assexuada, a colônia “mãe” se divide e dela brotam novos corais. A outra, sexuada, ocorre pela liberação de gametas masculinos e femininos. Levados pela corrente de água, os gametas se encontram e formam larvas que “nadam” até se fixarem no melhor lugar dando início à metamorfose que resulta em novas colônias.

A reprodução dos corais também é feita em fazendas marinhas, geralmente na Ásia e Oceania, tanto em terra firme quanto no mar. Pequenos fragmentos de corais dão início a novos indivíduos, eles formam novas colônias que são exportadas para aquaristas do mundo todo ou usadas em estudos e em preservação e repovoamento de recifes. Essa contribuição é importante porque com o aumento da temperatura do planeta, a acidificação das águas por poluentes e gás carbônico, assim como a pesca predatória estão impactando a vida nos oceanos.

No aquário

Em locais fechados, como nos aquários,  os corais necessitam de ambiente estável e com parâmetros adequados. O avanço e a difusão das técnicas e da tecnologia, permitem que hoje os corais, em sua maioria, estejam presentes no hobby do aquarismo e sejam reproduzidos.

Ao montar um aquário marinho, com ou sem corais, a maneira mais segura de obter sucesso é contar com a orientação de profissional especializado na área. São muitas as variáveis que precisam ser levadas em conta, e isso envolve estudo e conhecimento prático. Nas lojas da Terra Zoo, nossos consultores podem dar orientações para cuidar dos corais e do seu aquário marinho.

Leia mais
AquarismoDestaques

Workshop on line: cuidando do meu peixe betta

WhatsApp Image 2020-08-06 at 15.11.49

Eles são pequenos, vivem em água doce, coloridos e vistosos, têm um custo acessível e costumam ser ótimos para quem está entrando no mundo do aquarismo. Já deu para reconhecer de quem nós estamos falando? O @ewerton_fiilho preparou dicas incríveis de como cuidar do seu peixe betta! 🐠
.
Workshop on-line com @ewerton_fiilho
Sexta-feira, 07/08 a partir das 16h nos stories do Instagram da @terrazoo
.
OBS: vamos deixar uma caixa de perguntas nos stories, corre lá e faça sua pergunta pro Ewerton! ☺️
#peixebetta #aquarismo #aquario #betta #terrazoo #ficadica

Leia mais
AquarismoDestaques

Peixes: diferenças que fascinam

foto3

A diversidade de formas dos peixes ornamentais contribui para o aquarismo ser tão interessante.

Posição da boca

Podemos entender o hábito alimentar dos peixes observando a posição da boca. Aqueles que têm boca superior, ou seja, voltada para cima, como o Aruanã (Osteoglossum bicirrhousum), capturam o alimento sempre na superfície. Por outro lado, aqueles com a boca inferior, ou seja, virada para baixo, buscam o alimento no fundo. Assim se comportam espécies como Coridoras e Botias (Chromobotia sp). Temos ainda aqueles com boca terminal, voltada para a frente que se alimentam preferencialmente no meio da água, nem na superfície nem no fundo. É possível observar esse hábito nos Barbos (Puntius sp).

Nadadeiras

São divididas em nadadeiras pares (aparecem em dupla: as peitorais e pélvicas) e ímpares (só existe uma no peixe: anal, dorsal e caudal). A anal e a dorsal são estruturas estabilizadoras, que mantêm o peixe na vertical. As peitorais e pélvicas direcionam o nado. E a caudal impulsiona o peixe.

O formato da nadadeira caudal indica o hábito das espécies em relação ao nado. As de nado rápido, que habitam águas livres, têm o pedúnculo caudal (base da nadadeira) estreito e a nadadeira bifurcada, em forma de forquilha. O Cruzeiro-do-Sul (Hemiodus gracilis) é um bom exemplo. Nos peixes de nado lento, o pedúnculo é mais largo e a cauda, arredondada, como no Oscar (Astronotus ocellatus).

Busca por alimentos

Diversas espécies desenvolvem adaptações curiosas na busca por alimentos. A mandíbula inferior proeminente do Peixe-Elefante (Gnathonemus petersii), parecendo uma tromba é usada para revolver o fundo e localizar os alimentos. Com esse mesmo objetivo, outros peixes usam seus barbilhões, como as Coridonas, as Botias e Dojó.

Alguns anabantídeos, como Colisa (Colisa lalia) e Tricogaster (Trichogastrer sp), possuem papilas gustativas na ponta das nadadeiras peitorais, que são modificadas em finas e compridas “antenas”.

Leia mais
AquarismoDestaques

NUTRICON CONVIDA: Live com Ewerton Filho, gerente de aquarismo da Terra Zoo ⠀

WhatsApp Image 2020-07-06 at 10.24.21

NUTRICON CONVIDA, Ewerton Filho Gerente de aquarismo na empresa Terra Zoo. ⠀

📅 Data: Quinta-feira (09/07/2020)
📝 Tema: Aquários Gigantes! Montagem e manutenção

⏰ Horário: às 20 horas
📲 Plataformas: Instagram, Facebook e Youtube

A Terra Zoo tem aquários alguns aquários com mais de 10.000 litros e queremos convidar você para assistir a live desta quinta para ver como funciona a montagem e manutenção de aquários gigantes.

Algumas perguntas que serão respondidas na live:

– Como é feita a montagem de aquários gigantes?
– Como é feito a manutenção nesse tamanho de aquário?
– Quais são os aquários que tem na loja?


Estamos te esperando na live. 😉 #nutriconconvida

Plataformas:
Instagram: @nutricon_ https://www.instagram.com/nutricon_/?hl=pt-br
Facebook: Nutricon – Divisão Pet https://www.facebook.com/Nutricondivisaopet/
Youtube: Vamos falar de bicho https://www.youtube.com/channel/UC–osjTbeiDr18Cj99bZPCA

Leia mais
AquarismoDestaques

Fridmani: peixinho esperto e de cor exuberante

peixes-pseudochromis-fridmani-m-900×900

Com comprimento que não passa de 6,5 centímetros, o Fridmani destaca-se pela exuberante cor violeta, corpo afilado, vivacidade e maneira elegante e peculiar de nadar. Conhecido também por Orchid Dottyback, o Pseudochromis Fridmani, proporciona um show a parte no aquário. Um atrativo adicional desse peixinho é ser amplamente reproduzido em cativeiro no mundo todo, o que evita a necessidade de retirá-lo do mar.

Apesar de exemplares capturados da natureza ainda serem comercializados, é grande a disponibilidade de Fridmanis produzidos por criadores, inclusive no Brasil. Ao buscar um exemplar, portanto, converse com o lojista e dê preferência aos provenientes da produção em cativeiro. Além de ser a opção sustentável, essa é também a mais interessante. O peixe estará melhor adaptado a vida em aquário e resistirá mais as condições nele encontradas. Além disso, há maior probabilidade de estar isento de agentes causadores de doenças, como vírus, bactérias e protozoários.

Como escolher um Fridmani saudável

Ao selecionar qualquer peixe não se esqueça de verificar a limpeza do aquário onde ele está, bem como dos demais aquários a ele interligados. A saúde dos peixes depende muito da higiene mantida nos aquários.

Procure um peixe que esteja saudável e que tenha todos os colegas saudáveis. A cor do peixe deverá estar vibrante. Verifique se o Fridmani vem comer imediatamente: peça ao vendedor para alimentá-lo na sua frente.

Na Terra Zoo você encontra uma grande variedade de alimentos para peixes marinhos.

Na natureza

Originário do Mar Vermelho, em seu habitat, o Fridmani se abriga em fendas e buracos de formações rochosas, em regiões e recifes. Vive em profundidades que variam de 1 a 60 metros.

Comportamento

Ativo, o Fridmani é um explorador nato, entra e sai da toca continuamente. Gosta de nadar pelo aquário inteiro, em constante procura por microcrustáceos para se alimentar. Pacífico com a maioria dos peixes, pode ser agressivo com outros pseudochromis. Para evitar brigas, prefira colocar apenas um Fridmani em aquário pequeno, já que a espécie vive tranquilamente sozinha.

Ambiente

O Fridmani gosta de rochas para se abrigar e de ambiente bem iluminado. É assim o habitat da espécie na natureza. Ele tolera temperatura de 22 a 28 graus e densidade da água de 1021 a 1026. Adapta-se aos mais diversos fluxos de água – não há, portanto, preferência quanto a circulação. O tamanho mínimo do aquário para até dois Fridmanis é de 80 litros.

Dieta

Em ambiente natural, o Fridmani é carnívoro. Alimenta-se de microcrustáceos, como vermes de cerda e outros pequenos animais que caibam em sua boca. Já que nos sistemas fechados, todo peixe marinho precisa de dietas variadas. Utilizam-se diferentes marcas de rações de boa qualidade. No caso do Fridimani, precisam ser específicas para peixes marinhos pequenos.

Leia mais
AquarismoDestaques

Ter um aquário em casa é prático e faz bem à saúde

aquarismo peixe

Existem diversas razões para se ter um aquário em casa. Peixes ornamentais além de serem ótimos pets, funcionam bem para decorar qualquer ambiente, e ainda contribuem para aliviar o estresse do dia a dia.

Pode-se ter um aquário pequeno, do tipo que cabe em qualquer ambiente da casa, com apenas poucos litros de água, até aqueles aquários enormes com algumas centenas de litros. Vai depender do seu espaço e de quanto você esteja disposto a gastar para manter este hobby que tem adeptos em todo o mundo.

Estudos comprovam que a observação por alguns minutos de peixes em seu aquário, que funciona como um pequeno ecossistema da natureza dentro da sua casa, pode aliviar o estresse e as tensões do dia a dia.

Pesquisas realizadas em países como Inglaterra e Estados Unidos, comprovaram que pacientes com histórico de problemas psicológicos e até mesmo psiquiátricos apresentaram melhora considerável em seus quadros de saúde após serem submetidos a sessões de observação de aquários.

A manutenção é um outro diferencial a favor do aquarismo. Para aqueles que querem ter um animal de estimação, mas dispõem de pouco tempo para dar a atenção que um cachorro ou um gato requerem, por exemplo, ou ainda para aqueles que trabalham fora o dia inteiro e só retornam à noite para casa, o aquário é uma ótima opção, pois basta alimentar seus peixes uma ou duas vezes ao dia. Qualquer outra eventual manutenção pode esperar até o fim de semana para ser feita.

Até mesmo se você precisar viajar no fim de semana, não precisa se preocupar, existem no mercado alimentadores automáticos que fazem a função de dar comida em seu lugar, em horários pré-determinados, em programações que podem chegar a mais de um mês. As lojas da Terra Zoo dispõem de uma grande variedade, de aquários, plantas aquáticas, enfeites, alimentos e peixinhos variados, para ingressar no hobby do aquarismo contando ainda com a orientação de seus consultores.

Leia mais
AquarismoDestaques

Feirinha de Aquarismo em Imperatriz

WhatsApp Image 2019-07-18 at 12.07.25

Olha que legal, Imperatriz… Teremos a primeira Feirinha de Aquarismo da Terra Zoo, na cidade! Um programa pra toda a família! 🐠💕
.
🗓 De 20 a 28 de julho, somente na Terra Zoo de Imperatriz.
Produtos do Setor de Aquarismo com até 60% de desconto 🐡 e uma programação GRATUITA super interessante pra quem gosta ou trabalha com aquários:
.
•20/07 – 09h às 11h: Palestra
Aplicação dos produtos Microbilift em aquários doce e marinho, com Homero Costa, gerente comercial dos produtos Microbilift.
.
•27/07 – 09h às 11h: Palestra
Ração Nutricon na alimentação de peixes ornamentais, com Dennys Oliveira, representante comercial da empresa Nutricon.
.
.
#feirinhadeaquarismo #terrazoo #aquarismo #peixes #promoções #imperatriz 🐟
.
Não se esqueça. É só até o dia 28 de julho. Programe-se pra ir!

Leia mais
AçãoAquarismoDestaques

Terra Zoo promove ação educativa sobre aquarismo em Imperatriz

WhatsApp Image 2019-04-24 at 14.27.29

A Terra Zoo, em parceria com a Escola Dom Bosco Junior de Imperatriz, promoveram uma ação educativa para crianças, usando como tema o aquarismo. Através de uma palestra interativa que incluiu brincadeiras, o palestrante da Terra Zoo fez demonstração de algumas espécies de peixes e explicou como cuidar deles, falou também da necessidade da preservação dos mares e rios, assim como os riscos que o plástico representa para a vida dos peixes, tanto para os de água doce, quanto para os de água salgada. Na ocasião foi feito também um trabalho de conscientização quanto à importância de não se desperdiçar água, despertando na criança uma conscientização ambiental.

“O aquarismo traz uma série de benefícios para as crianças, potencializando o seu senso de responsabilidade, uma vez que elas passam a cuidar e serem responsáveis por uma vida”, afirma Raimundo Ewerton Junior, gerente de aquarismo da Terra Zoo. “Os peixes ornamentais são totalmente dependentes dos cuidados dos seres humanos e das crianças, diferentes por exemplo dos cães, que quando estão com fome, latem insistentemente até ganhar comida, ou do gatos que também se viram para suprir suas necessidades. Quando um gato não tem comida, ele dá um jeito, mia em busca de atenção ou vai embora a procura de água ou comida”, completa Ewerton.

Enquanto os cães latem e os gatos miam para interagirem com seus tutores, os peixes não dispõem desta alternativa. A criança tem que saber o horário certo de alimentá-lo, pois se não o fizer, o peixe não vai esboçar nenhuma atitude e nenhum movimento que mostre que ele está com fome, ele simplesmente morre. Assim, o senso de responsabilidade da criança é aguçado. Na palestra, os alunos aprendem noções sobre os tipos de alimento que os peixinhos comem, os nutrientes presentes na ração balanceada, sobre o aquário ideal e qual o tratamento adequado que um peixe de aquário precisa ter.

Criança e aquário, inúmeras possibilidades de aprendizado

O aquarismo também traz para as crianças noções de Geografia, uma vez que cada peixe é proveniente de um ecossistema diferente. Assim como noções de ecologia, química e matemática, porque a criança vai aprender a calcular o volume de água do aquário e a quantidade dos produtos necessários para manter o meio ambiente ideal para os peixes.

“O aquarismo é bastante abrangente e envolvente, justamente por isto, um aquário não é simplesmente uma caixa de vidro com um peixinho dentro. Não se trata apenas de um objeto de decoração. Quando a criança ganha um peixinho de presente, ela tem um universo de possibilidades de aprendizado para lidar”, afirma Raimundo Ewerton. Ações como esta já haviam sido realizadas com sucesso em parceria com algumas escolas de São Luís. Primeiro a Terra Zoo entra em contato com a diretoria da escola, explicando o projeto. “As escolas contatadas não apenas se empolgam com a ideia, como participam ativamente, colaborando no que for possível. Nunca aconteceu de alguma escolar não querer participar”, explica Raimundo Ewerton.

Leia mais
AquarismoDestaques

Fridmani: peixinho vivaz e de cor exuberante

fridimani2

Conhecido popularmente como Fridmani ou Orchid Dottyback, o Pseudochromis Fridmani, proporciona um show a parte no aquário. Com comprimento que não passa de 6,5 centímetros, destaca-se pela exuberante cor violeta, corpo afilado, vivacidade e maneira elegante e peculiar de nadar.

Um atrativo adicional desse peixinho é ser amplamente reproduzido em cativeiro no mundo todo, o que evita a necessidade de retirá-lo do mar.

Na natureza

Originário do Mar Vermelho, em seu habitat, o Fridmani se abriga em fendas e buracos de formações rochosas, em regiões de recifes. Vive em profundidades que variam de 1 a 60 metros.

Sustentabilidade

Apesar de ainda serem comercializados, Fridmanis são capturados na natureza, mas há também disponibilidade de exemplares produzidos por criadores, inclusive no Brasil.

Ao buscar um exemplar, portanto converse com o lojista e dê preferência aos provenientes da produção em cativeiro. Além de ser a opção sustentável, essa é também a mais interessante. Além disso, há maior probabilidade de estar isento de agentes causadores de doenças, como vírus, bactérias e protozoários.

Comportamento

Ativo, o Fridmani entra e sai da toca continuamente. Gosta de nadar pelo tanque inteiro, em constante procura por microcrustáceos para se alimentar.

Pacífico com a maioria dos peixes, pode ser agressivo com outros pseudochromis. Para evitar brigas, prefira colocar apenas um Fridmani no aquário pequeno, já que a espécie vive tranquilamente sozinha. Caso queira ter mais de um, capriche nas tocas e esconderijos para facilitar um bom convívio, cada um marcando seu território, há também a possibilidade de procurar formar um casal de Fridmanis colocando juntos exemplares de tamanho diferentes ou adquirindo um par que já esteja junto na loja.

Ambiente

O Fridmani gosta de rochas para se abrigar e de ambiente bem iluminado. É assim o habitat da espécie na natureza. Ele tolera temperatura de 22 a 28 graus de densidade da água de 1021 a 1026. Adapta-se aos mais diversos fluxos de água – não há, portanto, preferência quanto a circulação. O tamanho mínimo do aquário para até dois Fridmanis é de 80 litros.

Dieta

Em ambiente natural, o Fridmani é carnívoro. Alimenta-se de microcrustáceos, como vermes de cerda e outros pequenos animais que caibam em sua boca. Já nos sistemas fechados, todo peixe marinho precisa de dietas variadas. Utilizam-se diferentes marcas de rações de boa qualidade. No caso do Fridmani, precisam ser especificas para peixes marinhos pequenos.

A escolha

Ao selecionar qualquer peixe não se esqueça de verificar a limpeza do aquário onde ele está, bem como dos demais aquários a ele interligados. A saúde dos peixes depende muito da higiene mantida na bateria de aquários.

Procure um peixe saudável e que tenha todos os colegas da bateria de aquário também saudáveis. A cor do peixe deverá estar vibrante. Verifique se o Fridmani vem comer imediatamente: peça ao vendedor para alimentá-lo na sua frente.

Leia mais
1 2 3
Page 1 of 3