close

Cães

AquarismoCãesCoelhoDestaquesEventosGatosPets

Chegamos em Pinheiro – MA

WhatsApp Image 2021-07-25 at 19.20.07

A Terra Zoo inaugurou nesta segunda, dia 26 de julho, mais uma loja, dessa vez na cidade de Pinheiro, na Baixada Maranhense. Com mais de 80.000 habitantes, Pinheiro destaca-se pela agricultura com o cultivo em larga escala de arroz, feijão, milho e mandioca e pela pecuária na criação de bovinos, suínos, aves, equinos e ovinos.

Localizada na Avenida Castelo Branco, número 653 Quadra 255, no bairro Fomento, a Terra Zoo se destaque por ser a primeira loja que reúne os segmentos pet, agro, jardinagem e aquarismo, oferecendo um mix de produtos e serviços diferenciados na cidade, prezando sempre pelo excelente atendimento e suprindo as necessidades dos clientes de Pinheiro e cidades vizinhas.

Na loja, os clientes podem desfrutar do Espaço Garden, especificamente voltado para a jardinagem com flores e mudas de plantas ornamentais, frutíferas, ervas e muito mais! O setor agro atende ao pequeno, médio e grande agricultor e criador com rações, ferramentas e equipamentos. Já o setor pet oferece além de uma extensa linha de produtos de alimentação, higiene, medicações, entre outros, também um Beauty Pet com serviços de banho e tosa e, em breve, consultório veterinário. E o Aquarismo que encanta a todos com peixes ornamentais e tudo para o seu aquário.

Fica o convite a todos conhecerem a nova Terra Zoo em Pinheiro!

Horário de funcionamento: Segunda a sexta: 8h às 19h; Sábado: 8h às 14h; Domingo: fechada.

Telefone: (98) 3248 9588.

Confira algumas imagens:

 

 

 

Leia mais
CãesCuriosidadesDestaques

Dicas de alimentação para seu cão

caes-1

Você é o que você come. Essa frase também pode ser aplicada aos animais. Cães mais gordinhos podem estar se alimentando somente de alimentos pobres em nutrientes, com alto valor calórico e, portanto, estarem mal nutridos. A obesidade sozinha já é um problema, se estiver associada a uma má nutrição, o caso se torna ainda mais grave. Como os cães não abrem a geladeira, fica mais fácil para nós tutores controlarmos o que eles comem e em qual quantidade.

A obesidade causa vários prejuízos para a saúde do seu mascote. Um cão obeso possui baixo desenvolvimento, escore corporal alto, cansaço e maior predisposição a problemas cardíacos.  Para que o peso do pet não ultrapasse o ideal, ou seja, o estipulado por um médico-veterinário, alguns produtos podem ser banidos da dieta ou dados em pequenas quantidades ao cão. Cuidado com os petiscos, não podemos ultrapassar 10% da sua alimentação com guloseimas, pois, desse modo, estaremos dando excesso de calorias ou substituindo uma dieta balanceada como uma ração, por um petisco não balanceado. Caso o seu cão já esteja obeso, na Terra Zoo você encontra rações balanceadas e hipo-calóricas, além de veterinários e profissionais capacitados para lhe orientar sobre como manter a boa forma do seu mascote.

Será que o meu cão está bem nutrido?

Para um cão ser considerado bem-nutrido ou saudável, ele deve consumir alimentos essenciais que irão ajudar no seu desenvolvimento. Uma ração de boa qualidade ou uma alimentação natural deve conter vitaminas, sais minerais, proteína e carboidratos. Tais ingredientes são indispensáveis no cardápio de qualquer cachorro, independentemente da raça ou da idade. A ausência de algum deles pode causar diversos danos à saúde, tais como: anemia, baixa imunidade, maior predisposição a fraturas (fragilidade dos ossos), perda de pelos, pele seborreica, alergias, dificuldade de cicatrização, entre outros problemas.

Proteína é muito importante, não há como negar. Mas, não é a única coisa coisa importante a considerar na alimentação dos cães. Ela deve ser de boa qualidade. Por isso evite produtos que contenham farinha de pena e farinha de carne e osso em sua composição, essas proteínas possuem muita matéria mineral, o que dificulta a absorção dos nutrientes na digestão.

Saiba como lidar com um cão guloso

Se você tem um pet que come rápido demais ou em porções excessivas, entender as causas desse comportamento é o primeiro passo para amenizar o problema. A fome em excesso  é chamada de polifagia ou hiperfagia, e pode estar associada a diferentes causas, tanto médicas como comportamentais. Por esse motivo, é importante que, antes de tudo, o cão seja examinado por um veterinário. Descartadas quaisquer questões clínicas ou de saúde, as causas podem ser de origem comportamental.

Entre as causas comportamentais estão a ansiedade, o estresse, a depressão e a carência afetiva. Em relação a ansiedade, o tratamento é bastante amplo e particular de cada caso, pois é preciso tratar todos os aspectos, incluem o manejo diário do animal, o ambiente que ele vive e como os donos reagem a isso, e esse trabalho reflete indiretamente no contexto familiar. Ociosidade pode contribuir para agravar o problema, portanto, aumente a frequência dos passeios.

Experimente fracionar as porções de comida: Você pode experimentar alimentar o cão várias vezes ao dia, em menor quantidade. Pode ser em duas porções ou mais (três ou quatro, se o cão for muito ansioso e compulsivo por comida), para que ele comece a aprender a controlar a ansiedade. Existem no mercado comedouros especiais, desenvolvidos para pets que comem rápido demais. Em geral, eles distribuem a ração de modo que o cão precisa enfrentar “obstáculos” para conseguir alcança-la, o que torna o processo de ingestão mais lento. Brinquedos educativos também ajudam o animal a aprender a comer aos pouquinhos.

Qual ração escolher e quando devo oferecer ao cão?

Existe uma variedade enorme de rações nas gôndolas dos supermercados e pet shops. Fica difícil saber qual marca e tipo de ração levar. Cada marca promete vários benefícios e as embalagens bonitas e coloridas acabam por nos confundir. A melhor forma de escolher um alimento de qualidade é buscando ajuda de um profissional que, após uma consulta, saberá o que indicar. Busque alimentos que contenham ingredientes de boa qualidade, com baixa matéria mineral.

Assim como nós humanos temos horários para fazer as três refeições do dia, estabeleça horários para as refeições do seu pet. Para os filhotes recomenda-se uma frequência de três a quatro refeições diárias, já os adultos podem comer duas vezes ao dia. A quantidade de cada refeição também é importante e deve ser respeitada. Ela será estipulada conforme o peso, idade, atividade física, se o cão está no peso ideal ou abaixo ou acima dele. Todas as indicações vêm descritas nos rótulos dos alimentos. Na Terra Zoo você encontra as linhas completas das melhores rações existentes no mercado, além de contar com a orientação de veterinários e consultores bem informados.

Descubra se você está colocando em prática todos esses macetes para deixar seu pet saudável. Se não estiver, não fique preocupado, ainda há tempo.

Repassando as principais informações:

  1. CONSUMO DE ALIMENTOS ESSENCIAIS: Para um cão ser considerado bem-nutrido ou saudável, ele deve consumir alimentos essenciais que irão ajudar no seu desenvolvimento. Uma ração de boa qualidade ou uma alimentação natural deve conter vitaminas, sais minerais, proteína e carboidratos. Tais ingredientes são indispensáveis no cardápio de qualquer cachorro, independentemente da raça ou da idade. A ausência de algum deles pode causar diversos danos à saúde, tais como: anemia, baixa imunidade, maior predisposição a fraturas (fragilidade dos ossos), perda de pelos, pele seborreica, alergias, dificuldade de cicatrização, entre outros problemas.
  2. MANTENHA OS HORÁRIOS E AS PORÇÕES: Os tutores devem estipular horários para a realização das refeições dos pets, assim como nós, humanos, que temos hora para fazer as três refeições do dia. Para os filhotes recomenda-se uma frequência de três a quatro refeições diárias, já os adultos podem comer duas vezes ao dia. A quantidade de cada refeição também é importante e deve ser respeitada. Ela será estipulada conforme o peso, idade, atividade física, se o cão está no peso ideal ou abaixo ou acima dele. Todas as indicações vêm descritas nos rótulos dos alimentos.
  3. A RAÇÃO MAIS ADEQUADA PARA O SEU MASCOTE: Com a imensidão de opções dispostas nas gôndolas dos supermercados e pet shops fica difícil saber qual marca e tipo de ração levar. Isso porque a indústria pet food consegue atrair a atenção dos tutores com suas embalagens coloridas e mil promessas. A melhor forma de escolher um alimento de qualidade é buscando ajuda de um profissional que, após uma consulta, saberá o que indicar. Busque alimentos que contenham ingredientes de boa qualidade, com baixa matéria mineral.
  4. PROTEINA É IMPORTANTE, MAS NÃO É TUDO: Ela é importante, não tem como negar. Mas, não é o ponto alto da alimentação dos cães. Ela deve ser de boa qualidade. Por isso evite produtos que contenham farinha de pena e farinha de carne e osso em sua composição, essas proteínas possuem muita matéria mineral, o que dificulta a absorção dos nutrientes na digestão.
  5. CUIDE DA SILHUETA DO SEU PET: Você é o que você come. Essa frase também pode ser aplicada aos animais. Cães mais gordinhos podem estar se alimentando somente de alimentos pobres em nutrientes, com alto valor calórico e, portanto, estarem mal nutridos. A obesidade sozinha já propicia e, se estiver associada a uma má nutrição, o caso se torna mais grave.

Entre as consequências ocasionadas pela obesidade animal estão prejuízos a saúde. Um cão obeso possui baixo desenvolvimento, escore corporal alto, cansaço e maior predisposição a problemas cardíacos. Para que o peso do pet não ultrapasse o ideal, ou seja, o estipulado por um médico-veterinário, alguns produtos podem ser banidos da dieta ou dados em pequenas quantidades ao cão. Não podemos ultrapassar 10% da sua alimentação com petiscos, pois, desse modo, estaremos dando excesso de calorias ou substituindo uma dieta balanceada com uma ração por um petisco não balanceado.

Na Terra Zoo você encontra uma grande variedade de rações de qualidade para manter o seu pet saudável e em forma.

Leia mais
CãesCuriosidadesDestaques

De olho no coração do seu cão

coracao-de-cachorro

Muitos tutores ainda desconhecem os sintomas – nada silenciosos – e tratamentos das complicações cardíacas que acometem cães de todas as idades e raças, inclusive os vira-latas. Seguem dicas para proporcionar uma vida saudável ao seu pet.

Diferente do que acontece em humanos e até mesmo em gatos, as doenças cardíacas em cães podem ser classificadas de acordo com a sua alteração estrutural. Em animais de grande porte pode-se observar o desenvolvimento, com mais facilidade, de uma doença chamada cardiomiopatia dilatada, ou seja, uma doença que afeta o miocárdio (músculo cardíaco), tornando-o fraco e flácido, que causa a falha de bombeamento de sangue e, consequentemente, do fluxo sanguíneo para os demais órgãos do corpo do animal.

Como identificar

Para identificar se o cão sofre de algum mal cardíaco é importante estar atento às mudanças, sejam elas comportamentais ou de saúde, do animal de estimação. No geral, os sintomas são cansaço e indisposição, podendo evoluir e causar dificuldade ou aumento de frequência respiratória; tosse seca, como se tivesse engasgado; emagrecimento; coloração azulada nas mucosas e, em casos mais avançados desmaios.

Diagnóstico

Uma vez identificado o problema, para que se tenha um diagnóstico correto, é necessária a avaliação clínica, feita por um veterinário especializado em cardiologia e exames prévios que são capazes de detectar complicações cardíacas. Auscultação cardíaca feita pelo estetoscópio para verificar sopro ou arritmias, e aferição da pressão arterial são alguns deles. Infelizmente as doenças cardíacas não podem ser prevenidas, mais podem ser diagnosticadas precocemente, melhorando a resposta ao tratamento, por isso a importância das consultas periódicas ao veterinário.

Possíveis tratamentos

Como as doenças cardíacas degenerativas são incuráveis e progressivas, o foco principal do tratamento é oferecer qualidade de vida ao animal para que ele possa ter uma sobrevida maior e, claro, tentar retardar o avanço da doença ao máximo. Para isso, a prescrição dos medicamentos por um cardiologista veterinário é primordial, além de outros fatores que podem ser incluídos no dia a dia, como alimentação balanceada e sossego. No caso de doenças congênitas, como persistência de ducto arterioso (conexão fetal entre a aorta e a artéria pulmonar) e estenose pulmonar (obstrução do fluxo sanguíneo do ventrículo direito para a artéria pulmonar), é possível tratamento cirúrgico curativo, desde que diagnosticadas precocemente.

Leia mais
CãesDestaques

Dicas para manter o seu cão bem educado

13d11798a01

Assim como fazemos com nossas crianças, é importante facilitar o entendimento do pet em relação aos ensinamentos que queremos passar. Facilite as tarefas para que ele as realize e tenha a oportunidade de ser recompensado. Com repetições e dinâmica, o filhote aprenderá com mais rapidez.

Dê a ele atividades que supram suas necessidades, ofereça a ele brinquedos para morder, pois filhotes sentem desconforto muito intenso quando os dentes começam a nascer e durante a troca dos dentes de leite, sentindo vontade de morder qualquer coisa que alivie o desconforto. Se essa dor e coceira não forem direcionadas ao passatempo correto, o pet pode até desenvolver o hábito de morder objetos da casa.

Use e abuse também de brincadeiras com bolinhas e caça ao tesouro, espalhando ração ou petisco pela casa para que o filhote os busque farejando. As atividades cansam o pet, gastando a energia que esses pequenos naturalmente têm, o que é fundamental para ajudar o cão a não ter interesse por nada que ele não possa morder, como utensílios dos donos ou da casa.

Ensinar comandos desde a chegada do filhote em casa é muito importante. Mais do que algo fofo de ver, esse treinamento estimula o pet desde cedo a realizar alguns comandos básicos, que melhoram a comunicação entre o cão e os tutores e ajuda o animal a compreender melhor o que é esperado dele. O comando “senta” pode auxiliar em diversas situações: quando chegam visitas você pode pedir o comando ao pet e evitar que ele pule nas pessoas, se o animal entender que sentado ele ganha mais atenção do que pulando, vai passar a gostar de atender a tal comando.

Para ensinar o “senta”, coloque um petisco bem gostoso no focinho do animal e leve a guloseima para cima de sua cabeça, fazendo o peludo encostar o bumbum no chão. Quando ele o fizer, dê a recompensa. Repita o treinamento até que o amigo esteja sentado apenas com o movimento da sua mão. É importante sempre recompensá-lo com aquilo que ele mais gosta: petisco, atenção, carinho ou brinquedo. Descubra qual a recompensa favorita dele e use-a nos treinos.

Ensinar limites ao cão, vai auxiliá-lo a ter autocontrole e evitar comportamentos indesejados. Para isso, ensine o “não”. Coloque um petisco no chão e o afaste com a guia dizendo “não”. Quando o filhote não insistir mais, recompense-o.

Solidão sem crise

Nosso dia a dia é bastante conturbado: saímos de casa cedo e passamos o dia fora, no trabalho ou estudando, e nosso peludo muitas vezes fica em casa ocioso nos esperando. Essa situação pode gerar uma série de comportamentos indesejados, como ansiedade, estresse, compulsões etc. Assim, ensinar nossos filhotes a ficar sozinho praticando atividades bem legais ajudará muito o pet a ser mais feliz. O enriquecimento ambiental com brinquedos é uma forma bastante eficiente de deixar nossos peludos distraídos e saudáveis, física e mentalmente falando.

Um erro bastante comum ocorre quando tentamos ensinar nosso filhote a fazer suas necessidades no local correto. Sem saber, alguns tutores acabam deixando o jornal ou o tapete higiênico perto demais da comida, da água e da cama do cão. Além de eles não gostarem de se aliviar perto de onde comem e dormem, devemos facilitar o aprendizado. O primeiro passo é retirar tapetes de tecido e de pelos dentro de casa, pois os locais absorventes são um chamariz para nossos amiguinhos, já que, por instinto, ele busca locais que enxuguem o xixi.

Sem medo de ir ao vet

Uma dica importante para que o seu pet não se estresse com o veterinário, é manipulá-lo desde filhote em diferentes partes do seu corpo. Uma atitude simples, mas que fará uma grande diferença em diversos procedimentos futuros com o médico veterinário. Devemos mexer em suas patinhas, ouvidos, rabo e na parte interna da boca frequentemente, mas sempre recompensando o animal com algo gostoso. Acostuma-lo com a caixa de transporte e com o carro é outro passo importante para facilitar as idas ao veterinário, ao banho e tosa, além de acostumar o animal com possíveis viagens com a família. Para isso, devemos transformar a caixa em um abrigo para o filhote. Inicialmente, deixe o animal com livre acesso a ela, realizando sua alimentação dentro da caixa e habituando-o a ficar pequenos períodos fechado dentro dela.

Os passeios com coleira são essenciais para a socialização

Habitue desde cedo o cão a usar coleira. Adaptar o pet a coleira antes de sair na rua é essencial.  Assim que ele já estiver acostumado com ela, utilize a guia e o petisco para fazer o pet se movimentar em sua direção. Somente quando o bichinho estiver se sentindo confortável inicie os passeios na rua.

Para uma convivência tranquila, será de extrema importância socializar o pet com diferentes animais e pessoas. Faça esses treinos de forma gradual expondo o filhote as situações, sempre associando-as a algo positivo, como comida e carinho. Com cuidado e sempre vá tirando possíveis medos de objetos que são frequentemente utilizados por nós, como escovas, máquinas de tosa e utensílios de banho, por exemplo. Expondo os filhotes aos estímulos, de forma gradual e sempre com recompensas, seu pet vai ficar cada vez mais integrado a família.

Ensinando a aceitar outros animais

Fazer com que seu cão aceite conviver com outros animais é muito similar com o treinamento para que ele se socialize com pessoas. A diferença, é que com outros animais é preciso se certificar de que os dois estejam em um ambiente controlado, priorizando a segurança no treino. Para manter esse controle, pode-se fazer uso de coleiras, guias e caixas de transporte.

Os cães devem ser apresentados em ambiente neutro e pode-se usar o passeio para ajudar na socialização, de preferência com duas pessoas, cada uma segurando um cão. Já entre cães e gatos, a socialização deve ser feita da seguinte forma: o gato precisa estar preso a uma guia ou, de preferência, numa caixa de transporte, e o cão também deve estar na guia e se aproximar pouco a pouco, e o dono recompensando cada olhar e cada passo a mais.

Quem vai determinar a velocidade da evolução do treino é o gato, pois ele é muito mais sensível, além de estar em posição de presa. Caso o gato aparente estar com medo ou estressado, aumente a distância entre os animais de estimação e recomece aos poucos, sempre recompensando-os por estarem na presença um do outro, criando uma associação positiva.

Apresentando o barulho ao cão

Quanto mais cedo começar o trabalho de socialização do cão, melhor. Assim haverá menos possibilidades de ele ter uma barreira futuramente. A idade ideal para a socialização é dos 2 aos 4 meses de idade. Nesse período, a janela de socialização está aberta a todas as situações são mais fáceis de serem processadas pelo bichinho. Isso não significa que os adultos não possam ser socializados, mais o processo ocorre de forma mais lenta nesse caso. O cão adulto já tem uma gama de associações formadas, as vezes alguns vícios e traumas, mas, ainda sim, da maneira correta e com ajuda de um profissional em comportamento animal, essa tarefa pode ser executada e esses “vícios”, “revertidos”.

Uma das socializações que devem ser feitas em cães é aquela que o deixa habituado a ruídos como buzinas de carro, campainhas, fogos de artifício, etc. o objetivo é o pet não ficar estressado ou com medo quando nos ouve.  Apresente os barulhos pouco a pouco, de preferência em outro ambiente em baixo volume, e vá aumentando e aproximando o ruído do cão aos poucos. Sempre recompense, até que ele fique confortável e se sinta seguro com a proximidade do barulho.

Leia mais
CãesCuriosidadesDestaquesGatosPets

Como agir em caso de fraturas no seu pet

fraturas-e-traumas-em-ces-e-gatos-3

Em caso de fratura é preciso ter muito cuidado com o pet. Lembre-se que fraturas causam dor e um incomodo muito grande. Portanto, cuidado para o pet não lhe morder. Para imobilizá-lo, segure-o pelo pescoço para que ele não morda. Pegue uma corda, barbante ou cadarço, enrole o focinho dele e amarre atrás da cabeça. Uma focinheira também pode ser usada.

Não tente colocar os ossos no lugar. Ele vai se estressar e sentir dor com a sua tentativa. Leve-o o mais rápido possível ao atendimento hospitalar veterinário. Lá ele poderá ser submetido a ultrassom, raios-X e tomografia, que apontarão se houve uma lesão mais grave, exigindo cirurgia. Mas os exames só serão realizados após a estabilização do animal.

Não deixe o animal lamber o ferimento, se houver. Em caso de sangramento, pressione uma toalha ou pano limpo no ponto da fratura para estancar o sangue. Tente manter o membro esticado com sua mão por baixo, o que diminui a instabilidade dos fragmentos ósseos e evita que o acidente se torne ainda mais grave.

Evite mexer demais no animal. Evite girar seu pescoço e sua coluna. Para transportar o animal, arraste cuidadosamente uma tábua para debaixo do pet e empurre-o devagar para cima dela, evitando manipulá-lo demais. Tente não deitá-lo sobre o membro fraturado.

Se o problema for uma pata, envolva-a com uma toalha e fixe-a com fita crepe, mantendo o membro esticado e evitando movê-lo. Faça isso antes de levar o pet ao hospital veterinário.

Leia mais
AdoçãoCãesDestaquesEventosGatos

Feirinha de Adoção na Terra Zoo do São Luís Shopping

WhatsApp Image 2021-07-14 at 17.01.47

No dia 17 de julho teremos Feirinha de Adoção na Terra Zoo do São Luís Shopping! 🐶🐱

Cães e gatos ❤️🐕🐈
SRD – sem raça definida.

•Para adotar um pet:
1. Você precisa ser maior de idade;
2. Deve apresentar documento com foto e comprovante de residência;
3. Precisa passar por uma entrevista com a ong, visando avaliar questões como o perfil do adotante (e sua família), a rotina da casa, histórico com outros animais e a segurança.

Ongs parceiras em São Luís: @amadasaoluis @caesegatosderuaslz @amepetsslz

⚠️ Importante:
Os cães e gatos vão pra casa vermifugados, com a primeira dose da vacina e com microchip de identificação gratuitos*. E mais… você pode COMPRAR O ENXOVAL do seu novo pet com 10% de DESCONTO no dia da adoção, na loja do São Luís Shopping. 🛒🛍😍

*após a adoção, a responsabilidade de manter a carteirinha de vacinação atualizada passa a ser do adotante.

😷 Observação: Seguimos todos os protocolos exigidos pelas autoridades sanitárias com a utilização obrigatória de máscara e distanciamento seguro entre as pessoas, evitando aglomeração.

Feirinha de Adoção
Dia 17 de julho, a partir das 10h
São Luís Shopping

Adote! 🐶🐱
#terrazoo #feiradeadoção #adoção #adoteumpet

Terra Zoo, faz parte da natureza, faz parte da sua família!

Leia mais
CãesDestaques

Como agir em caso de envenenamento

check up

A simples curiosidade, comum nos filhotes, pode levar os cães e gatos a devorar plantas ornamentais. Eles também podem engolir plantas por deficiência nutricional, sede e mal-estar – sim, nesses casos eles engolem folhas por instinto para facilitar a digestão ou favorecer o vômito. Além de diversas espécies de plantas de jardim, adubos e pesticidas também podem ser nocivos aos bichos. Por isso, ao tratar das plantas de casa, todo cuidado é pouco.

Não dê leite, pode ser pior

Aos primeiros sinais de envenenamento – salivação e vômitos, inchaço e vermelhidão na boca, taquicardia, diarreia, tremores, secreções bucais e até convulsões – procure imediatamente um veterinário. Rapidez é essencial para a recuperação do animal. Não dê leite porque esse alimento pode reagir com o produto que provocou a intoxicação.

Como agir

Identifique o que causou a intoxicação, procurando vestígios na boca ou na casinha do animal. Em caso de produtos químicos, ou envenenamento por planas, leve a embalagem do produto ou a espécie sob suspeita ao veterinário. Se você se encontrar longe de um profissional, dê carvão ativado diluído em água. Ele impede a absorção completa do agente tóxico pelo organismo, mas só funciona quando aplicado logo após o incidente.
Com uma luva cirúrgica, lave a boca do animal com água abundante. Não provoque o vômito, pois se o agente for uma substância corrosiva, como a soda cáustica, ela ocasionará mais ferimentos no esôfago do animal. Leve-o imediatamente a um hospital veterinário.
Mantenha o animal em jejum. Não dê leite, que pode reagir com o produto ingerido.

Importante

Leve o animal a um hospital veterinário o mais rápido possível. O profissional, sim, poderá induzir o vômito e indicar uma lavagem estomacal, se for o caso.

Leia mais
AdoçãoCãesDestaques

Preparando a casa para ter um cão

unnamed

Uma área protegida do excesso de calor e da chuva, um pedaço de pano, água e comida e mais alguns apetrechos para brincar – os nossos amigões não exigem muito.

Importante organizar um local na sua casa para o seu cão ficar. Um local exclusivo para ele. E é preciso adaptar o filhote a esse lugar logo ao chegar. Assim, se ele for de alguma raça de grande porte, nada de mantê-lo dentro de casa no começo para, depois, simplesmente colocá-lo no quintal. É melhor decidir logo onde será sua morada definitiva para que ele se adapte mais facilmente.

Cuidado com os locais da casa que representem perigo

Se o seu cachorro não for treinado, barre o acesso à piscina, onde é muito comum acontecer acidentes, na maioria das vezes fatais. Cuidado também na área de serviço e na cozinha: fogão, lixo, produtos de limpeza, remédios e produtos de jardinagem precisam ficar bem fechados e distantes do seu cão.

Na hora de dormir

Há camas de todos os tipos, algumas feitas para cães que vivem em casa e outras para animais de apartamento. Seja como for, sempre prefira as fáceis de lavar, feitas com tecidos impermeáveis. As de náilon, por exemplo, precisam ser forradas com panos de algodão, que garantem maior conforto. As camas devem isolar o animal do chão, protegendo-o do frio e da umidade. Por isso mesmo, em alguns casos, pode ser necessária a utilização de um estrado, entre o chão e a cama, com essa finalidade. Dê preferência aos estrados de plástico, que são fáceis de higienizar.

Cuidado com as escadas

Elas oferecem risco de queda para os filhotes mais afoitos. Só depois de crescerem o sobe e desce está liberado – desde que sem exageros, pelo menos até a terceira idade. Com o passar dos anos, muitos cães sofrem com dores na coluna e, por isso, precisam passar longe dos degraus. Aliás, as raças Dachshund e basset devem evitar escadas em qualquer fase da vida. É que elas são predispostas a ter doenças de coluna e os degraus só pioram a situação.

Leia mais
CãesDestaques

O que não pode faltar na dieta do seu cão

1- 1- CÃES QUE LAMBEM MUITO AS PATAS

Se o seu cachorro come bem ele vive muito melhor. Mas comer bem, não significa comer muito. Basta uma rápida pesquisa nas prateleiras da petshops para conferir a imensa variedade de alimentos disponíveis para o seu cão. Há desde rações mais simples até as mais vitaminadas, da categoria superpremium, uma espécie de “filé-mignon das rações”, que oferece maior quantidade e qualidade de nutrientes. Boas opções, agora, não faltam.

Ração ou comida “de gente”?

Algumas comidas da dieta humana são proibidas para cães. É o caso do feijão, cuja casca é capaz de irritar o intestino do animal e causar diarreia. Massas, pães, doces, embutidos e ossos de frango também entram na lista negra dos alimentos proibidos.

A dieta humana é contraindicada para cães, que possuem necessidades alimentares específicas. Minerais, vitaminas, proteínas, fibras, carboidratos e gorduras benéficas da família ômega são ingredientes que hoje fazem parte das rações para cachorros. Bem diferente do passado, quando restos do jantar da família ou rações nada apetitosas formavam o cardápio dos nossos bichos de estimação. Optar por rações é a forma mais segura de evitar ingredientes nocivos.

O tipo de proteína animal

Na hora de definir com qual marca encher o prato do bicho, é importante observar os ingredientes que compõem o produto. Para garantir a dose de proteína, importante na composição da pele, dos músculos, do sangue e do sistema imunológico, prefira rações a base de frango, carneiro, salmão e ovos. São melhores fontes de proteína para os cães do que a carne bovina.

O papel das fibras

Para favorecer o processo digestivo, alguns fabricantes incluem um alto teor de fibras nas rações por meio de ingredientes como a beterraba-branca. O objetivo é que o intestino funcione melhor e a absorção de nutrientes seja mais eficaz.

Seu cachorro precisa de vitaminas…

Elas têm ação fundamental. A vitamina A é importante para a visão e para a pele. A vitamina D para a absorção de cálcio nos ossos. Já a E é um poderoso antioxidante, que retarda o envelhecimento, e as do complexo B atuam na síntese de várias substâncias pelo organismo.

…e minerais

Eles também não devem faltar nas refeições. O cálcio e o fósforo compõem o esqueleto e atuam nas reações de energia. O cloro, o sódio e o potássio controlam a entrada e a saída de líquidos nos vasos. O magnésio age nas contrações musculares, assim como o potássio. O enxofre participa da síntese de aminoácidos. E o iodo na formação dos hormônios da tireoide. Já o zinco garante saúde á pele e á pelagem. Finalmente, o ferro entra na composição do sangue. Repare se a fórmula da ração que você usa em casa é rica nesses nutrientes.castração, ração

Na Terra Zoo você encontra uma enorme variedade de alimentos para o seu cão crescer forte e saudável.

Leia mais
1 2 3 4 20
Page 2 of 20