close
unnamed

Criar cães em condomínios é algo que gera muita polêmica sobre o que pode ou o que não pode fazer.  É importante que o dono seja responsável e garanta que a presença do cão não represente riscos a saúde, segurança ou ameace o sossego dos demais moradores.

Xixi e cocô nas áreas comuns

Cabe ao tutor limpar todos os dejetos do seu cão nas áreas comuns do condomínio, pois além de sujar, eles podem transmitir doenças. Os cães filhotes tendem a fazer cocô em qualquer lugar, portanto, sempre que for levar os seus cães para um passeio nas áreas comuns do condomínio, leve sempre alguns saquinhos com você para que, em caso de emergência, consiga limpar imediatamente a sujeira do seu animal de estimação.

Evitando o excesso de latidos

Latidos intermináveis e barulhos podem incomodar muito os vizinhos. Quando o cão apresenta qualquer problema de comportamento, é preciso verificar se suas necessidades básicas de alimentação, atividade física, social e mental, estão sendo supridas. Não deixe de gastar a energia do seu cão com passeios diários, não basta apenas uma volta no quarteirão para fazer xixi, ele precisa se exercitar, ter contato com diversas pessoas e animais, ir a lugares diferentes, aprender coisas novas, se alimentar de maneiras desafiadoras. Os latidos também podem aparecer caso o cachorro não tenha aprendido a ficar sozinho e, portanto, tem uma relação de dependência emocional com seu tutor. Nessas situações, a ajuda de um adestrador é fundamental para que o problema seja resolvido.

Cuidado com barulho

As brincadeiras do seu cãozinho podem tirar a paz de quem vive no andar de baixo, com barulhos excessivos. Mantenha as unhas dos cães sempre curtas para que não façam barulho no piso. Quando seu cão arrasta brinquedos pesados pelo apartamento, também pode causar barulho no andar debaixo, ossos artificiais ou naturais podem fazer bastante barulho. Fique atento. Uma dica, é oferecer brinquedos ou ossos sobre um tapete de EVA para que não fique em contato direto com o chão, podendo incomodar o seu vizinho do andar debaixo.

Mau cheiro

O mau cheiro vindo da casa onde os cães habitam também incomoda. Mantenha limpas as áreas internas usadas de banheiro para o cão em sua casa. Respeitar o próximo é a chave para a boa convivência.

Entenda que nem todo mundo gosta de cachorro

Se você conhece alguém que tem medo ou não gosta de cachorro, evite que ele tenha contato com a pessoa.  No geral, mantenha o seu cão próximo ao seu corpo enquanto ele estiver nas áreas comuns do condomínio, e não deixe que ele se aproxime das pessoas, a não ser que tenha autorização.

Comandos que facilitam a boa convivência

Ensinar o comando “senta” será de grande utilidade na hora de abrir a porta. Aprender a ficar sentado quando o dono abre a porta de casa e não sair correndo em disparada evita que o cão entre em casas alheias ou até mesmo que ele corra o risco de sair para a rua. Quando o “senta” já estiver consistente, comece a ensina-lo a ficar sentado quando se abre a porta. Com o cão na posição “sentado”, coloque a mão na maçaneta, volte e recompense.

Depois a gire, volte e recompense. Vá abrindo a porta lentamente e recompensando o cão sentado. Caso ele saia, feche a porta rapidamente e retome o processo. Assim que conseguir abrir toda a porta com o cão sentado, dê o comando OK para que ele seja liberado.

A importância de manter o cão na guia e coleira

Importante acostumar o cão com o uso da guia e coleira. Circular nas áreas do condomínio sem guia causa desconforto com os vizinhos. A rua oferece novos estímulos, importante o cão está bem familiarizado com a guia, para não ter problemas comuns, como o cão que empaca e não sai do lugar ou puxa demais para chegar logo em locais que o interessam.

Primeiro acostume-o com a coleira logo que ele chegar em sua casa, depois coloque a guia, deixe que ele ande pela casa e entenda como tudo isso funciona, e só depois o cão estará preparado para sair na rua com algo o prendendo.

É muito importante que o filhote não seja deixado sem supervisão com a coleira e a guia. Ele pode se enroscar ao tentar tirar e até destruí-la para evitar incomodo. Quando o cão já estiver acostumado com a guia, é preciso ensiná-lo que andar ao lado do dono é legal e vale a pena.

Normalmente os filhotes já andam para lá e para cá dentro de casa, então aproveite essa oportunidade para treina-los. Dentro de casa, vá em algum lugar onde possa andar um pouco mais, como um corredor, e dê um grão de ração ou petisco a cada passo que o cão andar ao seu lado. Em pouco tempo ele vai entender que precisa caminhar com você para ser recompensado. Faça isso sem a guia e depois com a guia. Quando o cão estiver saindo de casa, transfira esse mesmo treino para as áreas comuns do prédio.

Quando um cão que não recebe recompensa por andar ao lado do seu dono na guia, ele vai buscar suas próprias recompensas no ambiente, como ir ao encontro de outras pessoas ou cheirar um matinho. Quando ele passa a entender que a recompensa vem do dono, ele entende que é mais valioso para ele, permanecer por perto.

Tags : cachorrocachorroscãescondomíniocuidadosdicadicas
Terra Zoo

Sobre o autor Terra Zoo

Deixe uma resposta