close
image002

Desde filhotes, os cães são lambidos pela mãe, lamber é um comportamento natural canino. Por meio de lambeduras os cães dão demonstrações de afeto ou se higienizam.

Contudo, as lambidas podem se tornar repetitivas demais e podem estar associadas a ansiedade do animal. Um comportamento semelhante ao que ocorre quando o cão late sem parar ou persegue insistentemente a própria cauda. Nos casos de compulsão, o mais comum é que o cão lamba as próprias patas ou a cauda, mas há casos que o cão quer lamber exageradamente pessoas ou móveis e objetos.

As compulsões podem ter causa fisiológica, como alergia ou infecção, mas a motivação mais frequente costuma ser psicológica, resultante de estresse ou tédio em decorrência de alterações no ambiente físico ou social. Podem estar relacionadas a casos como a chegada de novo membro na família, mudanças de residências, ou alteração na rotina dos donos, falta de atenção, ou de distração e de exercício. Pode ser também que ele esteja querendo chamar atenção, caso ele tenha recebido carinho por lamber muito no passado e ter sido recompensado por este comportamento.

Mesmo que você não conviva tanto com o cão, pode observar o excesso de lambeduras por meio de sintomas, tais como vermelhidão na pele, molhados onde ela ocorre ou feridas, neste caso é sinal de que o grau da compulsão é elevado, com risco de o cão vir a apresentar sérios problemas comportamentais e de saúde.

COMO INTERROMPER AS LAMBEDURAS EM EXCESSO

Primeiro consulte o médico veterinário para identificar a causa. Na maioria das vezes o problema é resolvido por meio de reeducação comportamental, com o acompanhamento de um profissional especialista em comportamento animal. Caso não seja obtido o resultado esperado, pode-se associar a utilização de medicamentos que regulam as moléculas químicas do cérebro. Com isso, é produzida a excitação do organismo produzida pelos estímulos causadores da ansiedade.

Promover atividades como brincadeiras rápidas diversas vezes por dia e passear mais frequentemente para gastar mais energia do cão e lhe proporcionar mais distrações também ajuda a resolver.

PREDISPOSIÇÃO

Algumas raças mais ativas precisam de espaço e de atividades para se exercitarem. Um cão extremamente ativo mantido recluso em pequenos espaços, com certeza sofrerá de estresse. O nível de ansiedade e estresse acaba produzindo comportamento direcionado à liberação da energia acumulada, e as lamber em excesso pode ser decorrente disto.

COMO TRATAR

Todos os moradores da casa devem estar engajados no programa de recuperação do cão que lambe por compulsão. Se por um lado, é preciso ignorar o animal enquanto prática lambedura compulsiva. Por outro lado, estimula-se o cão a ocupar o tempo com atividades diversas. Por exemplo, ao nos aproximarmos dele, podemos oferecer um brinquedo que o entretenha.

Uma opção caseira interessante é o da garrafa PET com ração e furinhos que requerem habilidade para a retirada dos grãos. Recomenda-se proporcionar mais passeios e brincadeiras que gastam energia, como pegar bolinha, e promover atividades que estimulem instintos como farejar e caçar. Use a imaginação lembrando que o cão tem necessidades diferentes das nossas. Alterne brinquedos no dia-a-dia.

ADESTRAMENTO

O adestramento traz diversos benefícios, inclusive ajudando a gastar energia e proporcionando distração e companhia, contribuindo assim para diminuir as compulsões. Ensine comandos ao cão. Um treino útil para ensinar é colocar um petisco no chão, dizer “não” e recompensar o cão sempre que ele não insistir em pegar a guloseima.

RESULTADOS

O resultado costuma aparecer mais rapidamente quando o trabalho é feito com filhote ou mesmo com cão adulto que foi apresentado a vários estímulos no período da sociabilização. Não são raros os proprietários que, por falta de informação ou de tempo, não dão importância á compulsão ou que, apesar de tentarem resolvê-la, ainda não acharam a forma de obter sucesso.

Caso precise de auxilio, procure um especialista em adestramento. Além de tratar o problema da compulsão de forma correta, ele ajudará a evitar que o seu cão venha a desenvolver outros problemas comportamentais.

Tags : cachorrocachorroscãescomportamentocuidadoscuriosidadedicadicas
Terra Zoo

Sobre o autor Terra Zoo

Deixe uma resposta