close
1- 1- CÃES QUE LAMBEM MUITO AS PATAS

Por meio das lambidas, os cães se higienizam e dão demonstrações de afeto. É portanto, um comportamento natural canino, presente na espécie desde quando os filhotes são lambidos pela mãe, nesta fase, as lambidas da mãe não apenas limpam os filhotes, como ativam a sua circulação.

Mas lambidas repetitivas demais, sem finalidade aparente, podem representar algum transtorno de comportamento, como excesso de ansiedade no animal, assim como acontece com outros comportamentos repetitivos, como latir em excesso ou girar em círculos perseguindo a própria cauda. O mais comum é a lambedura por compulsão ser direcionada para as próprias patas ou para a cauda, mas há casos que o cão lambe em excesso objetos e até pessoas próximas.

Como surgem as compulsões

A motivação mais frequente costuma ser psicológica, como resultado de estresse ou tédio em decorrência de alterações no ambiente físico ou social. Essas mudanças podem estar relacionadas em casos como mudanças de residências, chegada de novo membro na família, alteração na rotina dos donos, falta de atenção ou de distração e de exercício. Podem ter causa fisiológica também, como alergia ou infecção. Há, ainda, caso de lambedura compulsiva que surge porque o cão, ao se limpar, recebia regularmente atenção e carinho, então ele associa que para continuar recebendo atenção, deve continuar se lambendo.

Sinais

Mesmo quando o contato visual com o cão é apenas esporádico, consegue-se detectar a existência de lambedura compulsiva por meio de sintomas como vermelhidão na pele e pelos molhados no local onde ela ocorre. Se houver também feridas, é sinal de que cão está exagerando demais nas lambidas, que podem evoluir para mordidas e auto mutilação. A compulsão tende a ser maior nos cães de comportamento naturalmente mais ativo, quando não têm como gastar toda energia que seu organismo produz. É o caso dos exemplares extremamente ativos mantidos reclusos em pequenos espaços. O nível de ansiedade e estresse acaba produzindo comportamento direcionado à liberação da energia acumulada.

O que fazer?

A maioria dos casos, quando não fisiológicos, são resolvidos por meio de reeducação comportamental acompanhada por um profissional especialista em comportamento animal. Caso não seja obtido o resultado esperado, pode-se associar a utilização de medicamentos que regulam as moléculas químicas do cérebro, uma vez que as compulsões geram desequilíbrio em moléculas químicas cerebrais. Os medicamentos adequados, vão produzir a excitação do organismo produzida pelos estímulos causadores da ansiedade. Uma alternativa é promover brincadeiras ao logo do dia e passear com mais frequência com seu pet, para gastar mais energia do cão e lhe proporcionar mais distrações.

Importante que todos os moradores da casa participem do processo de recuperação do cão que lambe por compulsão. Por um lado, é preciso ignorar o animal enquanto pratica lambedura compulsiva. Por outro lado, importante estimular o cão a ocupar o tempo com atividades diversas, ou oferecer brinquedos que o entretenha.

Recomenda-se proporcionar mais passeios e brincadeiras que gastam energia, como pegar bolinha, e promover atividades que estimulem instintos como farejar e caçar. Use a imaginação lembrando que o cão tem necessidades diferentes das nossas. Alterne brinquedos no dia-a-dia. Uma opção caseira interessante é o da garrafa PET com ração e furinhos que requerem habilidade para a retirada dos grãos.

Um treino útil para ensinar é colocar um petisco no chão, dizer “não” e recompensar o cão sempre que ele não insistir em pegar a guloseima.

Não são raros os proprietários que, por falta de informação ou de tempo, não dão importância à compulsão ou que, apesar de tentarem resolvê-la, ainda não acharam a forma de obter sucesso. A adaptação às novas situações oferecidas pelo tratamento é uma questão. O resultado costuma aparecer mais rapidamente quando o trabalho é feito com filhote ou mesmo com cão adulto que foi apresentado a vários estímulos no período da sociabilização.

Adestramento

O adestramento traz diversos benefícios, inclusive ajudando a gastar energia e proporcionando distração e companhia, contribuindo assim para diminuir as compulsões. Ensine comandos ao cão. Caso precise de auxilio, procure um especialista em adestramento. Além de tratar o problema da compulsão de forma correta, ele ajudará a evitar que o seu cão venha a desenvolver outros problemas comportamentais.

Tags : cachorroscãescuriosidadedicadicaslamberpet
Terra Zoo

Sobre o autor Terra Zoo

Deixe uma resposta