close

Jardinagem

DestaquesJardinagem

Plantas para cultivar dentro de casa

Cultivar-Plantas-em-Ambientes-Internos-9

Se você tem dúvidas de qual tipo de planta ter dentro de casa, por medo de não saber como cuidar, regar, etc., confira as dicas abaixo.

Orquídea

A orquídea é uma das plantas mais procuradas pata cultivo em áreas internas, pois demanda poucos cuidados. Uma das espécies mais comuns é a falenópsis, cujas flores arredondadas variam entre o branco, o rosa, o amarelo e a púrpura. Por ser bastante delicada, é melhor escorar sua haste com um tutor. E vale a pena substituir os vasos de plástico pelos de barro, pois são porosos e drenam melhor a água. Deve ser cultivada à meia-sombra, recebendo iluminação indireta. Preste atenção na coloração da folhagem: se estiver escura, mude a orquídea de local.

Samambaia

De coloração verde-clara, apresenta folhas longas e pendentes, que costumam formar touceiras volumosas, demonstrando sua bela textura. Para tirar proveito dessas características, plante-a em vasos suspensos ou em um local alto. A iluminação ideal para cultivá-la é a meia-sombra, mas ela também gosta de receber iluminação difusa. O vento é um dos seus maiores inimigos, pois acaba queimando as folhas mais jovens.

Cróton

Esta espécie chama a atenção por suas folhas coloridas e grandes. Brilhantes e um pouco retorcidas, elas surgem em tamanhos variados e podem mesclar tons de vermelho, roxo, rosa, branco, amarelo, verde ou laranja, formando lindas combinações. A folhagem exuberante somente será mantida se a planta receber bastante sol direto. Por isso, posicione o vaso próximo a uma janela. Dicas importantes: ela não se adapta a locais com ar condicionado; ao manipular a planta, utilize luvas, pois sua seiva pode provocar irritações na pele.

Suculentas

São plantas que apresentam raiz, talo ou folhas engrossadas, característica que permite o armazenamento de água durante períodos prolongados. Bastante fáceis de cuidar, elas costumam “avisar” do que precisam, basta prestar atenção aos detalhes. Se as folhas começarem a murchar, aumente gradativamente a quantidade de água; se as folhas da base começarem a apodrecer, diminua. Se ela ficar fina e perder muitas folhas, não está recebendo a quantidade necessária de luz. O ideal é proporcionar pelo menos quatro horas diárias de sol para que elas sobrevivam com saúde.

Palmeira Leque

Por apresentar um crescimento lento, é ótima para o cultivo em vasos. Mas é preciso colocá-la em ambientes amplos e bem iluminados. Suas folhas grandes, plissadas e com margem dentada, em um lindo tom de verde brilhante, chamam a atenção de quem passa. Para mantê-la saudável, remova as folhas velhas e secas e adube a espécie durante o verão. O reenvase a cada dois anos também faz parte dos cuidados necessários. Proteja-a de ventos fortes e do aparelho de ar-condicionado.

Cacto

Ótima opção para quem não tem tempo ou jeito para cuidar de plantas, a espécie gosta de muitas horas de luminosidade direta e pouca água. Quanto mais sol seu cacto receber, mais robusto e bonito ele ficará. Quando plantado em vasos, ele estaciona seu crescimento ao perceber que o espaço acabou. Uma informação: todo cacto é uma sucelenta, mas nem toda suculenta é um cacto.

Zamioculca

É um excelente curinga para corredores e locais com baixa luminosidade natural, onde outras plantas dificilmente sobreviveriam. Destaca-se pela beleza de suas folhas superbrilhantes, com o aspecto de cera, em tom de verde bem escuro. A espécie é tão resistente que continua linda mesmo em ambientes com ar condicionado. Mas tome muito cuidado com a quantidade de água: é preferível deixá-la passar sede do que regar em excesso.

Quer conferir mais opções de plantas para cultivar em casa? Visite a Terra Zoo Conceito Quixaba, em São Luís:

Avenida Deputado Luis Eduardo Magalhães, 50
Cidade: São Luís
Estado: Maranhão
CEP: 65.065-200
Fone: (98) 3248-9555
Horário de Funcionamento:
Segunda a Sábado – das 08h00 às 18h00
Domingo – Fechada

 

Fonte: Revista Casa e Jardim

 

Leia mais
DestaquesJardinagem

Como cultivar uma horta com cães e gatos em casa

forma-correta-e-eficaz-de-proteger-dos-caes-a-sua-horta-caseira

Manter uma horta em casa é a melhor forma de consumir produtos orgânicos. Além da economia e dos nutrientes, cultivar um espaço só para plantar alimentos pode ser uma atividade apaixonante. Se você tem bichinhos de estimação em casa, não precisa desistir de ter uma horta. Com alguns cuidados básicos, você pode ter os dois.

Quem já se deparou especificamente com seu cachorro fazendo buracos no quintal ou em sua horta certamente passou por um grande desespero. Geralmente os cães fazem isso para se esquentar, se divertir, fazer caminhas, fazer exercícios, esconder alguma comida rara ou caçar bichinhos. O segredo é desviar a atenção do animal. Brincar com ele, fazer uma casinha, dar um paninho para ele brincar pra lá e pra cá e fazer a cama ao seu estilo.

Faça o que eles mais gostam, dê um pouco de atenção e carinho. Assim ele irá tirar o foco de suas plantas e irá se divertir com você. Mas acima de tudo, lembre-se de que tanto cães quanto gatos são adestráveis: esta é a saída definitiva para ensinar seu animal a respeitar sua horta.

Uso de cercas

Se você tem uma horta e animais, certamente já se deparou com fezes dos seus bichinhos em suas plantações. Isso tem uma explicação: animais domésticos têm por instinto natural ter seu território limpo, livre de fezes, urinas e outras sujeiras.

Por ser um solo mais permeável, que escoa a urina e absorve as fezes mais rapidamente, se torna quase que impossível que cães e gatos não se sintam atraídos ao fazer suas necessidades nesse tipo de terreno.

Uma dica prática é o uso de cercas em suas hortas de forma que impossibilite a entrada de seus animais. Além disso, apostar em plantas de copa alta pode vir a ser uma grande solução para aqueles que possuem animais com instintos caçadores. Bambu mossô, rhafis, frutíferas e arvoretas são ótimos para resistir a pulos de animais de grande porte.

Plantas Compatíveis com Animais de Estimação

Plantas que fazem cócegas no focinho e no peito também podem vir a ser boas escolhas. Entre elas estão o alecrim, russélia, aspargo, fênix.

O capim-limão é muito atraente para os pets: ele tem efeito calmante e provoca uma limpeza digestiva. Dessa forma, sempre que seu bichinho vomitar ou passar mal, esta pode vir a ser uma boa opção para ajudá-lo. No entanto, não devem estar em permanente alcance dos seus peludos. No caso dos gatos, sempre é possível plantar milho de pipoca num vaso largo como prêmio de consolação: eles adoram.

Plantas que Devem Ser Evitadas

Animais tentando devorar suas plantas, flores e ervas é algo consideravelmente comum. Por isso deve-se ter o maior cuidado possível ao plantar flores ou plantas desconhecidas. Algumas dessas verdinhas podem ser altamente tóxicas aos seus bichos.

Algumas plantas que podem ser de alto risco para seus animais:

Antúrio
Bico de papagaio
Espada de São Jorge
Costela de Adão
Copo de leite
Espirradeira
Hibisco
Lírio da paz
Samambaia
Arruda
Comigo ninguém pode

Temos que ter a consciência de que ter uma horta em casa é algo altamente recompensador e pode vir a ser uma ótima forma de aliviar o estresse e sentir-se mais feliz.

Mas, ao mesmo tempo, a saúde de nossos animais é algo que deve ser preservado e que devemos ter muita atenção ao ter-se alguma horta em casa.

Fonte: Faz Fácil

Leia mais
DestaquesJardinagem

Dúvidas sobre suculentas? Confira dicas!

Plantas-Suculentas-2-1024×768

Para quem tem dificuldade em cultivar plantas e já viu elas definharem mesmo com todos os esforços, cuidar de suculentas pode ser uma boa opção, pois são plantas de fácil manutenção que precisam de muita luz do sol e pouca água.

As suculentas são lindas plantas com diversas formas, cores e texturas, têm a capacidade de armazenar água na raiz, no caule ou folhas e tem grande resistência a seca. Conforme a família a que pertencem, podem ter flores vistosas ou de expressão ornamental secundária. Não são uma família botânica, mas são encontradas em diferentes famílias, com grandes diferenças de formato, tamanho, composição de tecidos e elementos.

Existe uma grande dúvida entre suculentas e cactos: todo cacto é uma suculenta, mas nem toda suculenta é cacto. A principal diferença entre suculentas e cactos é que os cactos possuem aréolas, que são pequenos círculos salientes de onde nascem rebentos, espinhos e flores. Algumas podem ser armadas com espinhos, como a coroa-de-cristo (Euphorbia millii) da família Euphorbiaceae, que têm o caule suculento, líquido leitoso e tem características tóxicas, podendo causar dermatite de contato.

A babosa (Aloe vera) da família das Liliáceas é uma planta medicinal, extremamente conhecida e utilizada no mundo inteiro. Já a Flor-de-maio (Schlumbergera truncata) da família Cactaceae, apesar de gostar de sol, a luz direta machuca suas flores. Então, o mais indicado é deixar em um local bem iluminado, mas sem luz direta.

As plantas suculentas gostam de bastante luminosidade e se inclinam facilmente para encontrar o melhor ângulo. É necessário virar os vasos de tempos em tempos para que a planta receba luz em todas as suas partes. Existem plantas suculentas semi-lenhosas de porte arbóreo, como a Yucca elephantipes, que pode atingir até 10 metros de altura. No outro extremo, estão as minúsculas e raras plantas-pedra, nativas das regiões subtropicais áridas no sul da África. Tem cerca de 2 cm de diâmetro, são difíceis de cultivar, restritas a poucos colecionadores e geram belíssimas flores com mais que o dobro do seu tamanho.

Cuidados com as Plantas Suculentas

– Regar as plantas 1 ou 2 vezes durante o mês, até que escorra água pelo fundo do vasinho;

– Evitar jatos de agua muito fortes, pois podem danificar as folhas;

– É importante manter as suculentas em lugar arejado, pois quando não existe ventilação, o ambiente fica propício para o aparecimento de doenças e pragas;

– Suculentas gostam do sol da manhã, mas há algumas que preferem sol pleno e outras nem podem receber luz solar direta;

– A adubação deve ser feita de 3 em 3 meses, suspendendo no inverno, pode ser adubo natural, como torta de momona e farinha de osso ou adubo químico NPK, seguindo orientações do fabricante.

A maioria das suculentas se multiplicam por estaquias das próprias folhas. Em espécies como as Crassulas e Echeverias, as folhas se destacam facilmente do caule, esse já é um modo prático e fácil de propagação da planta que terá excelentes resultados. Para que a planta consiga reter água o suficiente para sua sobrevivência, sem que isso apodreça suas raízes, um bom substrato e: 1 medida de terra vegetal, 2 medidas de areia de granulometria grossa, 1/2 medida de humus de minhoca.

Existem várias misturas de substrato para suculentas, alguns adicionam Turfa, Casca de Pinus, Fibra de coco, Vermiculita, Perlita, mas o principal é que seja bem drenado. O vaso deve ter o tamanho que dê bastante espaço para o desenvolvimento e acomodação das raízes.

Porém, existem alguns truques importantes. Um deles é estar atento à rega: é muito comum afogar as suculentas no cultivo em casa. Para evitar que as raízes fiquem empoçadas, invista em vasos com furos (mesmo que elas não estejam em um modelo tradicional, como os exemplos desta outra reportagem) e em uma mistura de areia com terra para drenagem.

Para saber quando deve-se regar uma suculenta, basta realizar o seguinte truque: espetar um palito na terra, se ele sair sujo, ainda não está pronto, não é hora de regar. Saindo seco, pode pegar a quantidade de água de um copinho descartável de café e colocar, devagar e com bom senso. Uma boa ideia é usar uma bisnaga plástica, como aquelas de lanchonete, para dosar bem a quantidade. Para as suculentas grandes, o esquema é o mesmo, porém com medidas maiores.

Preste muita atenção no tamanho de sua planta. Suculentas que se tornam compridas, com folhas bem separadas e até um pouco desmilinguidas, sofrem com falta de luz solar. A planta saudável é bem compacta. Leve-as para tomar banhos de sol durante a manhã para evitar que elas percam seu formato natural.

Evite também aqueles pedriscos brancos, pequenos, usados para enfeitar vasos: eles nada mais são que mármore picado e, molhados, liberam um pó que faz mal para a planta. No lugar deles prefira coberturas naturais como casca de pinus e palha de arroz.

No caso de replantio de suculentas e criar mudas, basta cortar o caule da suculenta e deixe-o secar por dois dias – se ele for replantado imediatamente, encherá de fungos. Depois é só coloca-lo novamente na terra e esperar a planta “pegar”!

Fontes: Casa Abril / folhasefolhagens.com.br

Leia mais
DestaquesJardinagem

Plantas deixam qualquer ambiente mais aconchegante

plantas3

Que tal deixar sua casa ou apartamento mais aconchegante? Uma das maneiras mais práticas para dar vida a um ambiente é fazer o uso de flores, plantas ornamentais ou outro tipo de vegetação.

A Terra Zoo e sua loja conceito Quixaba, têm plantas para encher sua casa de vida, além de produtos diversos para jardinagem. Se você é um apaixonado por plantas, flores e tudo que envolve jardinagem, não perca tempo e aproveite para deixar seu lar mais mais acolhedor.

Que tipo de planta ornamental escolher

Plantas ornamentais para interiores são ótimas para despoluir o ambiente, deixando o ar mais fresco. Existe uma variedade enorme de plantas ornamentais para interiores, com cores, tamanhos e texturas diferentes. Escolha uma que combine com o seu lar, e que atenda às suas necessidades, já que existem aquelas que precisam de mais cuidados e outras mais rústicas, ideais para pessoas mais ocupadas. Os consultores da Terra Zoo e da Terra Zoo Conceito Quixaba saberão lhe orientar sobre qual planta escolher.

Existe o mito de que ter plantas dentro de casa faz mal à saúde por desprenderem gás carbônico. Na verdade, a quantidade de gás carbônico liberado por elas é mínima, e bem menor que a quantidade deste gás que liberamos.

Onde colocar sua planta ornamental

Os locais onde mais se utiliza plantas ornamentais costumam ser, na sala de estar ou na cozinha, mas nada impede que se coloque plantas em outros compartimentos da casa ou em ambientes de trabalho. Basta apenas que se observe que as plantas têm necessidades de luz diferente. Dependendo da planta ornamental que você escolher, ela precisara ficar em um lugar com muita luz, pouca luz, ou ainda em um lugar que só receba luz indireta.

Normalmente, utiliza-se plantas grandes para dar destaque a um canto do ambiente, plantas menores podem ser agrupadas formando um arranjo, ou ainda podem ser colocadas sobre móveis ou penduradas no teto ou paredes. Atualmente está muito em moda a disposição de vários jarros em pallets, valorizando as paredes do ambiente com arranjos que podem variar rapidamente, apenas mudando a disposição dos jarros.

Como cuidar de plantas ornamentais para interiores

Cada planta exige cuidados diferentes, algumas precisam ser podadas, ou regadas com frequência, enquanto outras poderão ficar mais tempo sem água. Mas, ainda existem alguns cuidados essenciais a todas elas, para que continuem bonitas e saudáveis por longos períodos de tempo. Primeiramente, garanta que os vasos estejam fora das circulações de pessoas ou animais, para evitar acidentes. Algumas plantas são tóxicas e venenosas, nesses casos mantenha essas espécies em particular longe do chão, evitando o alcance de animais de estimação e crianças pequenas.

Escolha uma terra rica em matéria orgânica, com um substrato de qualidade. Ainda, é necessário repor adubo constantemente para que a planta continue crescendo. É recomendável adicionar ao solo, húmos de minhoca, ou adubo químico, que contém nitrogênio, fósforo e potássio, substâncias nutritivas e de grande importância para as plantas. O intervalo entre adubações de reposição podem ser de 3 a 4 meses para folhagens e de 2 a 3 meses para floríferas, antes e depois da camada de florescimento.

Para evitar pragas, ainda é possível fazer uma pulverização por mês com óleo de nim ou utilizar fungicidas específicos.

Plantas ornamentais para interiores são uma ótima opção para decorar e vitalizar ambientes, deixando-os limpos, bonitos e perfumados!

Leia mais
DestaquesJardinagem

Aprenda como fazer o transplante de uma plantinha

1502906754-513651933

A TV Terra Zoo sempre traz muitas dicas para os internautas. No programa abaixo, você vai aprender como fazer o transplante de uma plantinha que precisa de um vaso maior para viver e se desenvolver. Nosso colaborazoo, Railton Cardoso, apresenta as técnicas e macetes para arrumar a nova casa das suas plantas e ervas.

E se você precisa de algum produto para a sua horta ou para as plantas que decoram sua casa ou seu jardim, confira aqui.

Leia mais
DestaquesJardinagemOfertas

Aproveite as ofertas da Semana da Primavera

SP_0004_Agrupar 1 copiar 2

A Semana da Primavera começou e vai até o dia 01 de outubro com grandes ofertas! Se você é um apaixonado por plantas, flores e tudo que envolve jardinagem, não perca tempo e aproveite.

Orquídea natural branca, de R$ 49,90 por R$ 39,90.

Aparador de Grama Tramontina, de R$ 249,90 por R$ 184,90.

Pulverizador de pressão, 5l, de R$ 99,90 por R$ 69,90.

Mangueira Santeno Irrigação, de R$ 89,90 por R$ 65,90.

Confira, também, as ofertas do setor, no site www.terrazoo.com.br, e compre com até 10% de desconto! Também tem frete grátis nas compras acima de R$ 59,90, confira as condições e aproveite! É por tempo limitado!

E para você que quer aprender a fazer Arranjos Florais artificiais e naturais, a Terra Zoo realizará curso gratuito com a designer, paisagista e artista floral, Conceição Brasil, em três de suas unidades:

  • Quinta (28/09), às 10h, na Terra Zoo Forquilha;
  • Sexta (29/09), às 15h, na Terra Zoo/Quixaba (Altos do Calhau);
  • Sábado (30/09), às 10h, na Terra Zoo Cohama.

O curso terá duração de 1h e as inscrições estão abertas nos locais de realização de cada curso.

Semana da Primavera Terra Zoo
De 23 de setembro a 01 de outubro.
Em todas as lojas Terra Zoo.

Leia mais
Jardinagem

É possível cultivar uma pequena horta em casa

follow-the-colours-garrafa-pet-mini-horta

Muitas vezes quando se pensa em adotar hábitos saudáveis, a primeira coisa que vem a cabeça é a alimentação e cultivar uma pequena horta em casa, pode ser uma excelente opção! E não é nenhum bicho de sete cabeças!

Utilizar espaços reduzidos, como áreas de serviço, pequenas varandas, um espaço no quintal, ou até aquele cantinho na cozinha que você não sabe o que fazer, podem ser bons locais. Não é impossível experimentar uma horta em uma casa sem jardim ou quintal, ou ainda, em um apartamento pequeno. Não há lugar que não seja ideal para se ter uma horta ou uma mini horta. Elas são uma ótima forma de melhorar os hábitos alimentares, já que temperos e ervas fresquinhas bem ao alcance das mãos ajudam bastante numa dieta balanceada.

Outra vantagem de fazer uma horta é trazer mais verde para dentro de casa, mais frescor e alegria, já que a cor quebra o peso de tons mais escuros. Uma planta pode ficar no chão, no balcão da cozinha ou até na mesa do centro da sala.

Se seu espaço é reduzido, é possível cultivar diversos tipos de hortaliças como manjericão, sálvia, coentro, cebolinha, salsinha, hortelã, erva-doce, alecrim, orégano, entre outros, que você encontra aqui. Tudo isso, de forma bem criativa, usando até mesmo materiais que seriam jogados no lixo – como garrafas pet, potes de vidro e latinhas – no lugar de vasos. Além de fazer muito bem o contato com a terra, é uma delícia poder usar os alimentos plantados para dar um temperinho nos nossos pratos. As plantinhas também podem dar um outro efeito na decoração de sua casa.

Para iniciar uma pequena horta, escolha os recipientes que você achar melhor para começar a plantar. Utilize terra adubada e semeie os recipientes de acordo com seu tamanho: vasos e potes menores, requerem menos sementes; nos maiores, é possível acrescentar uma quantidade maior, mas não em excesso.

Quando utilizar recipientes sem furos para o escoamento da água, preencha o fundo com pedrinhas antes de colocar a terra. Dessa maneira a terra não fica encharcada e vai sendo umidificada aos poucos. Identifique cada espécie de planta com a ajuda de plaquinhas ou mesmo palitos de sorvete.

Em casos de duas ou mais ervas compartilhando o mesmo vaso, sempre verifique as necessidades especiais de cada uma, como quantidade de sol (em geral, o ideal é de 3h a 4h de exposição ao sol diariamente) e irrigação. Assim, você pode dividi-las de acordo com as características semelhantes e garantir vida longa às plantas.

Regue a horta preferencialmente no início do dia. Dessa maneira, você evita que o sol resseque demais a terra durante a tarde, ao mesmo tempo que garante que ela esteja suficientemente seca à noite (evitando a formação de fungos).

Evite plantar verduras grandes – como tomate, cenoura e algumas espécies de alface – em recipientes pequenos. Além de não possuírem espaço para crescerem, elas podem atrapalhar o desenvolvimento de outra planta que estiver compartilhando o mesmo vaso.

Dê carinho a sua horta. Plantas são seres vivos e precisam de cuidados, como adubação constante e controle de pragas. Acompanhe o crescimento delas sempre que possível.

Leia mais
AquarismoAvesCãesCuriosidadesGatosJardinagemNovidadesRaças

Já conhece a TV Terra Zoo? Confira a novidade!

logo TV Terra Zoo

A Terra Zoo tem mais uma novidade! Toda quinta, em seu canal no YouTube, entra no ar um episódio inédito da TV Terra Zoo, com dicas, entrevistas, novidades e muita notícia bacana sobre pets, jardinagem, aquarismo, cultura e muito mais!

Vários quadros como o Você Precisa Saber, Da Terra e Minha Vida de Pet serão apresentados por Beto Lima, um dos nossos colaborazoores, sempre com muita simpatia e descontração, mas também com muita informação sobre esse universo tão encantador!

Confira aqui em nosso canal!

 

Leia mais
Jardinagem

Cães e plantas: como fazer esta parceria dar certo?

Plantas e animais dicas para uma boa convivência. Foto Divulgação

Para muitos bichos de estimação é quase impossível ver uma planta sem correr para comê-la ou cavar a terra do vaso

Quem tem jardim em casa e animais de estimação, sabe que a relação nem sempre é pacífica. Principalmente se forem cachorros de grande porte, como Labrador, Rottweiler, Golden Retriever e alguns vira-latas, daqueles bem agitados e travessos. Devido ao comportamento alegre e curioso da maioria dos cães, cavar buracos, retirar as plantas e destruí-las em seguida, é algo muito comum. Um belo jardim é um convite irrecusável aos cães, eles são mestres em destruir jardins esburacar canteiros, arrancar ou morder as plantas e quebrar os vasos. Para tornar possível a convivência dos animais com o seu jardim, ou com as plantas da varanda do seu apartamento, vale lançar mão de alguns artifícios.

Plantas e animais dicas para uma boa convivência. Foto Divulgação

Um dos principais cuidados que se deve ter é com a toxicidade das plantas, pois muitas podem causar irritações nos seus animais de estimação. Algumas muito populares, como azaléia, lírio, espirradeira, antúrio, copo-de-leite, samambaia, hortênsia, etc, são tóxicas e podem afetar a saúde do animal se ingeridas. O recomendável é cultivar plantas que além de alegrar o jardim não farão mal aos pets como, por exemplo: verbena, rosas, petúnias, amor-perfeito, begônias, etc. Há ainda espécies espinhosas, como cacto (Cactaceae), que podem machucar os pets, especialmente os olhos.

Plantas “do bem”

Quer ter certeza de que o seu pet não corre risco algum? Então, aposte nestas espécies: grama natural, erva-cidreira, camomila, erva do gato, milheto, azevém, manjericão e hortelã. Estas duas últimas são ótimas para você cultivar dentro de casa ou no jardim, pois atuam como “repelentes naturais” de insetos, evitando que o seu pet tenha problemas decorrentes das picadas desses bichos, como alergias.

Protegendo o jardim

Se algumas plantas oferecem riscos aos animais, devido a sua toxidade e espinhos, a recíproca é verdadeira. Cachorros e gatos também podem ser danosos ao jardim. Para evitar estragos, especialistas sugerem não inserir as adocicadas, como bromélia (Bromeliaceae), cujo sabor do miolo os atrai. Colocar borra de café no vaso é outra boa dica: o cheiro forte afasta os cães e também os gatos. Fazer forração com pedras também é uma alternativa, pois funciona como empecilho para que eles cavem. Railton Cardoso, Gerente do Setor de Jardinagem da Terra Zoo, alerta para o mito de que as fezes de cães e gatos servem como adubo para a terra das plantas, “ pelo contrário, este tipo de resíduo animal pode acabar contaminando as plantas”. Na Terra Zoo, você encontra além de plantas ornamentais, uma variedade de produtos adequados para que cresçam bonitas.

Barreira física

Outra solução de combate ao entusiasmo de cães e gatos e salvar o jardim é proteger as plantas com telas, anteparos, cercas ou outro material que impeça a ação dos animais de estimação. Coloque estacas e fitas protetoras ao redor das plantas, evita o contato dos animais, sem impedir o crescimento delas. Para evitar que mexam nas plantas, outra possibilidade é pulverizá-las com substâncias repelentes não tóxicos, como a citronela. Outra opção, é liberar os animais para um passeio alegre pelo jardim sempre na companhia de alguém que vá aproveitar o momento para adestrá-los, chamando a atenção quando o seu cão estiver fazendo traquinagens. É sempre útil e prático, instalar portões ou adquirir gradeados que delimitam o espaço de acesso do cão pela casa, pelo menos enquanto ele não estiver totalmente educado, ambos são encontrados nas lojas Terra Zoo em vários tamanhos.

Com estes cuidados é possível obter um convívio harmônico entre seu jardim florido e seu querido mascote. Afinal o fato de se ter um jardim, não deve ser empecilho para se ter um cachorro, e vice-versa, pois tanto um quanto o outro são motivos de alegria e prazer.

Leia mais