Categorias
Cães Destaques

Dicas para um convívio feliz com seu pet

Para uma convivência feliz com o seu pet, é importante ensiná-lo o modo correto de fazer as coisas nos primeiros meses de vida. Mas, assim como os seres humanos, ele pode aprender em qualquer idade. Com um treinamento adequado, reconhecerá sua autoridade e obedecerá as suas regras. É da natureza canina se submeter a um líder – afinal, os cães originalmente viviam em matilhas.

Defina o “banheiro”

Estabeleça um local e uma rotina para o pet fazer suas necessidades. É comum os animais sentirem necessidade de evacuar logo após se alimentarem, portanto ofereça suas refeições nos mesmos horários e, em seguida, leve-o ao lugar escolhido. Faça companhia ao seu amigo até que ele faça xixi e cocô e, então, elogie e recompense-o. Também deixe por lá uma folha de jornal já utilizada pelo cão para urinar porque, ao sentir o odor, isso o incentivará a utilizar o sanitário. Importante: o lugar escolhido deve ficar bem longe da cama, da comida e dos brinquedos.

Não ceda ao olhar pidão do seu cão quando você estiver fazendo suas refeições!

Se o seu cão tem mania de latir e pular nas pessoas enquanto elas estão comendo, é porque em algum momento essa atitude foi bem-sucedida. E não dá pra negar: de certa forma, os alimentos que estão no prato de um ser humano são mais saborosos do que a ração na tigela. Por isso, é até compreensível que seu cachorro tente de tudo para receber um bocado daquilo que lhe abriu o apetite. Ainda bem que a solução para esse mau comportamento é simples: não importa o quanto ele peça, resista sempre. Ao perceber que suas investidas não tiveram êxito, o seu amigo vai parar de pedir – isso, no entanto, pode levar algum tempo.

Um rádio ligado, ajuda a distrair

Por passarem muito tempo sozinhos, alguns cachorros ficam ansiosos e acabam destruindo os objetos e roendo os móveis. Outros acabam adotando comportamentos compulsivos, como lamber ou morder repetidamente a própria pata. Para evitar essas atitudes, é necessário proporcionar fontes de distração durante ausência do dono. Experimente, por exemplo, ligar o rádio antes de sair de casa ou deixar brinquedos e ossos à disposição do seu pet.

DICAS PARA EVITAR FUGAS E MANTER SEU PET POR PERTO

É comum a fuga de cães quando encontram um portão aberto, mesmo os portões eletrônicos podem abrir a qualquer momento por alguma falha técnica. Se houver um barulho grande então, o seu cão pode fugir em disparada assim que o portão abrir. Para evitar esse tipo de acidente, eis algumas dicas:

· Treinar limites: Coloque uma guia mais comprida no seu pet ( 5 ou 8 metros) e então brinque com ele, se aproxime do portão, abra e vá para a rua. Se ele te seguir, impeça-o segurando a guia e diga “não”. Repita algumas vezes esse exercício até que ele entenda e não tente mais ir até a calçada. Recompense com um petisco sempre que ele obedecer e não sair.

· Ensinar o comando “vem”: Com uma guia longa, vá até um parque ou praça e aos poucos deixe seu pet se afastar. Quando estiver a uma pequena distância dele, chame-o bem animado dizendo “vem”. Cada vez que ele voltar pra você, recompense com muito carinho e um petisco que ele goste, assim ele aprende que voltar a seu encontro é algo super legal.

· Reforce com todos em casa a importância da atenção redobrada para manter portas e portões fechados.

· Cuide da manutenção do seu portão eletrônico e verifique se eu não abre sozinho com alterações da corrente elétrica, será útil tanto para sua segurança, quanto para evitar fugas do seu pet.

· Identifique seu cão com uma placa na coleira, pois ainda que você siga todos os passos corretamente e mantenha o seu animal de estimação seguro, pode ser que ele fuja. Nesse caso, uma plaquinha de identificação tende a ser bastante útil. A placa costuma conter o nome do cão, o número do responsável e, em alguns casos, mais algumas informações. Calcula-se que as placas de identificação aumentem em cerca de 40% as chances de o cão ser devolvido em segurança.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.