close
140897-roedores-domesticos-motivos-para-ter-um-em-casa-e-qual-escolher-986×640

Os mamíferos roedores têm despertado interesse e começam a ocupar lugares como animais de estimação exóticos em diversas famílias, lado a lado com gatos e cães. Entre os mais populares estão os hamsters, as ratazanas de estimação e os porquinhos-da-índia.

No entanto, estas vantagens também promovem alguma irresponsabilidade: sendo animais muito baratos e disponíveis em qualquer loja, por vezes existe menor cuidado e preocupação com a sua saúde, algo como “se morrer compra-se outro”.

Ao interagir com um destes animais, sobretudo se não tiver uma experiência anterior, poderá ficar surpreendido com a inteligência e a ligação afetiva aos donos de que estes animais são capazes.

Estes mamíferos possuem dois pares de dentes incisivos (dentes da frente) bem desenvolvidos. Um par situa-se no maxilar superior e o outro no maxilar inferior. Estes pares de dentes crescem continuamente, pois são desgastados à medida que o animal vai roendo as cascas dos ramos das plantas. Os roedores não possuem dentes caninos (presas), mas têm molares para a trituração do alimento. Como exemplos, temos o rato, o camundongo, a capivara (o maior roedor do mundo), o esquilo, a marmota e o castor. Estes animais servem de alimento para muitas aves, répteis e mamíferos carnívoros.

Os roedores são animais mamíferos, da ordem Rodentia. Existem cerca de duas mil espécies de roedores no mundo. Há grande diversidade entre os roedores, porém há uma característica em comum a todos eles: a forte e poderosa dentição. Com seus dentes incisivos conseguem roer diversos tipos de alimentos, além de madeira e até alguns tipos de pedras.

A maioria dos roedores é de pequeno porte (entre 100 e 200 gramas). São encontrados em todos os continentes (exceto Antártida). A maioria dos roedores é terrestre e plantígrado (animais que caminham sobre as plantas dos pés). Outra característica comum entre a maioria dos roedores é a reprodução rápida, pois as fêmeas são capazes de gerar muitos filhos num único ano. Além disso, possuem a capacidade de se adaptarem a vários tipos de habitat. Com relação aos hábitos sociais, os roedores e os quirópteros (morcegos) são sociáveis (vivem em grupos), porém os insetívoros possuem uma vida mais solitária.

Exemplos de espécies de animais roedores:

– Capivara (Hydrochoerus hydrocoerus)

– Castor-europeu (Castor fiber)

– Chinchila (Chinchilla lanigera)

– Esquilo-vermelho (Sciurus vulgares)

– Esquilo-voador (Pteromys volans)

– Gerbo-do-deserto (Jaculus jaculus)

– Hamster-comum (Cricetus cricetus)

– Lebre-ártica (Lepus arcticus)

– Leirão-cinzento (Glis glis)

– Marmota-comum (Marmota marmota)

– Morcego-anão (Pipistrellus pipistrellus)

– Morcego-negro (Barbastella barbastellus)

– Tuco-tuco (Ctenomys sp.)

– Vizcacha (Lagostomus maximus)

– Camundongo (Mus musculus)

– Musaranho-comum (Sorex araneus)

– Ratazana (Rattus norvegicus)

– Ouriço-cacheiro (Erinaceus europaeus)

– Porquinho-da-índia (Cavia porcellus)

– Rato-canguru (Dipodomys ordii)

– Toupeira-comum (Talpa europaea)

Classificação científica dos roedores:

Reino: Animalia

Filo: Chordata

Subfilo: Vertebrata

Classe: Mammalia

Infraclasse: Placentalia

Superordem: Euarchontoglires

Ordem: Rodentia

 

Tags : comportamentocuidadoscuriosidadedicahamsterspet
Terra Zoo

Sobre o autor Terra Zoo

Deixe uma resposta